Exclusivo Paris tem milhões de encantos

Se o PSG avançar para Rúben Amorim, e esse é um "se"enorme, ninguém no Sporting pode levar a mal que o treinador se deixe cair na tentação.

Em maio de 2011, depois de ter ganho tudo o que podia ganhar na "cadeira de sonho", André Villas-Boas era claro em relação ao respetivo futuro: "Se ficar 15 anos no clube que adoro, por mim será perfeito".

Um mês depois depositava na conta do FC Porto os 15 milhões de euros da cláusula de rescisão e voava para Londres para assinar pelo Chelsea. Serve a introdução para relativizar a firmeza das declarações de Rúben Amorim prometendo que teriam de "levar com ele mais um ano" no Sporting.