Nada é tão mau que não piore

O caos que tomou conta do dia a dia do Sporting só autoriza uma certeza em forma de frase batida: o pior ainda está para vir

1 - Um comunicado da Comissão de Fiscalização a anunciar a suspensão preventiva de Bruno de Carvalho pela fresquinha, uma conferência de Imprensa da Comissão Transitória da Mesa da Assembleia Geral a contra-atacar à hora de almoço, um comunicado do presidente da Mesa da Assembleia Geral a meio da tarde, uma barragem de posts do presidente no Facebook a tempo do lanche e um ou dois telefonemas em direto para uma TV à noite. O caos é o novo normal no confrangedor dia a dia do Sporting. Tão confrangedor, de facto, que ao fim de algum tempo até a bem-intencionada tentativa de humor do Grupo Desportivo de Oliveira de Frades, que se propôs receber Rui Patrício, William, Gelson e Bruno Fernandes de braços abertos no final do Mundial, acaba por soar mais a bullying do que a piada.

Foi até aqui que Bruno de Carvalho conduziu o Sporting: até ao ponto em que o clube é alvo de bullying completamente involuntário por parte de um clube que milita nos distritais. E o mais dramático, pelo menos para os adeptos leoninos, é perceber que não, isto ainda não bateu no fundo.

2 - O despedimento de Lopetegui pela Real Federação Espanhola de Futebol poupa dois milhões de euros ao Real Madrid que, assim, não tem de pagar a cláusula de rescisão prevista no contrato do ex-selecionador. Depois ainda dizem que o crime não compensa.