Manobras de diversão

O anúncio de uma queixa na FIFA contra o Benfica é apenas mais uma fuga para a frente de Bruno de Carvalho

1 - É difícil olhar para o comunicado emitido ontem pelo Conselho Diretivo (CD) do Sporting, anunciando uma queixa na FIFA contra o Benfica por alegado "assédio" a jogadores leoninos com base no depoimento de um comentador num programa televisivo cuja credibilidade tem sido constantemente atacada pelo próprio Bruno de Carvalho, sem ver nele uma tentativa atabalhoada de ensaiar uma manobra de diversão. Na iminência de uma manifestação de adeptos para pedir a demissão dos órgãos sociais ou, mais concretamente, de Bruno de Carvalho, o CD que resta depois das demissões das últimas semanas resolveu recorrer ao estratagema mais batido dos livros de propaganda, marcando a atualidade com a criação de um facto e apontado os holofotes para fora, na direção de um inimigo comum. O resultado foi pífio. A queixa da FIFA contra o Benfica redundou numa queixa-crime dos encarnados por difamação e denúncia caluniosa e a manifestação aconteceu mesmo, juntando centenas de adeptos unidos pela vontade de devolver o clube aos sócios. Uma amostra tão significativa como outra qualquer de que, simplesmente, não é possível enganar sempre toda a gente.

2 - A crise do Sporting não afeta apenas o clube de Alvalade. Ontem, na Euronext, durante a apresentação dos resultados da emissão de obrigações do FC Porto, Fernando Gomes queixou-se de concorrência desleal, numa referência ao recente "perdão" de dívida ao Sporting, mas foi mais longe. O administrador da SAD do FC Porto explicou que o facto de os leões terem falhado o reembolso das obrigações que venciam a 25 de maio forçou uma subida nos juros que os dragões vão ter de pagar. Dos 4,25% previstos inicialmente, a taxa passou para 4,75%, quase 200 mil euros a mais. A prova de que isto anda tudo ligado.