Luisão faz falta?

Jorge Maia

Tópicos

Para uma equipa em crise de confiança, a ausência de um dos jogadores mais experientes pode ser um problema

Luisão já foi substituído algumas vezes no Benfica com sucesso. Assim de repente, basta lembrar o clássico da última temporada no Dragão, em que o capitão dos encarnados teve de sair por lesão logo aos 17 minutos, sendo substituído por Lisandro, que acabaria por marcar o golo que empatou a partida já perto do final. Serve a longa introdução para sublinhar que, como seria de esperar num clube como o Benfica, Rui Vitória tem alternativas para a posição no plantel, sendo até discutível se algumas delas não podem acrescentar uma dimensão física à equipa que, aos 36 anos, Luisão nem sempre será capaz de oferecer. Aquilo que Rui Vitória não tem é uma alternativa para a experiência, respeito e influência que o capitão do Benfica impõe, não apenas na relação com os companheiros, mas sobretudo com os adversários e até com os árbitros, como, de resto, ficou claro em pelo menos dois dos lances capitais do último clássico com o FC Porto. De resto, não será por acaso que no meio do desacerto que marcou algumas das últimas exibições do Benfica, as grandes referências da equipa tenham sido precisamente Luisão e Jonas, dois dos jogadores mais experientes e, até por isso, emocionalmente estáveis do plantel encarnado. Numa altura em que a desastrosa participação na Liga dos Campeões e a eliminação da Taça de Portugal abalaram os índices de confiança da equipa em si própria, a ausência de uma referência como Luisão pode ter um impacto considerável na capacidade de reação das águias aos problemas que os próximos jogos prometem colocar-lhe. E esse é apenas mais um entre os muitos quebra-cabeças que Rui Vitória tem para resolver.