Premium "Pepe é o tipo de talento com entrada direta na equipa principal de qualquer grande"

"Pepe é o tipo de talento com entrada direta na equipa principal de qualquer grande"

Pepe no FC Porto não é o típico reforço de inverno

Há algumas semanas, Rui Vitória, na altura ainda treinador do Benfica, explicava ser muito complicado para os clubes portugueses contratar talento com entrada direta na equipa principal. Uma forma de justificar o eclipse total sofrido pelos reforços Ferreyra e Castillo, por um lado, e de colocar o coração dos adeptos ao largo quanto a expectativas de contratações decisivas no mercado de janeiro, por outro. Até por isso, Pepe não encaixa na definição típica de reforço de inverno. Não é um talento emergente que vai precisar de uma fase de adaptação ao peso da camisola, não é apenas mais uma opção para juntar às fileiras no momento de enfrentar a multiplicação de frentes de batalha e, definitivamente, não é uma solução de recurso para problemas que não foram resolvidos ou, pior do que isso, que foram criados no verão. Pepe é o tipo de talento com entrada direta na equipa principal de qualquer grande que Rui Vitória dizia ser complicado para os clubes portugueses contratar. E com razão. Pinto da Costa deu conta da pressão de grandes clubes europeus para garantir a contratação do internacional português, pelo que a vontade do jogador terá sido decisiva para a concretização de um regresso que, de outra forma, seria improvável. Claro que este FC Porto que Sérgio Conceição construiu também ajuda a convencer um jogador como Pepe. Afinal, uma equipa que luta para revalidar o título de campeã, que disputa todas as competições internas e que tem uma palavra a dizer na Champions é um lugar acolhedor para qualquer jogador de topo que ainda não se tenha cansado de ganhar.