Muito a ganhar

O FC Porto tem hoje uma oportunidade para corrigir a imagem deixada no primeiro jogo com o Liverpool.

1 À primeira vista, pode ficar a impressão de que o FC Porto não tem muito a ganhar com o jogo de hoje, em Liverpool. Inverter uma desvantagem de cinco golos frente a um adversário tão poderoso é pouco menos que impossível e, com o campeonato a entrar na reta final, qualquer esforço investido nesta fase da Liga dos Campeões soa a perda de tempo e energia numa altura em que nem um, nem outra abundam. E no entanto, o FC Porto tem hoje uma oportunidade única para corrigir a imagem distorcida que ficou nos olhos de quem viu o primeiro jogo e recuperar uma parte do prestígio internacional hipotecado nessa altura. Pode não parecer muito, mas o prestígio, e a forma como o defendem, é o que separa os grandes clubes dos outros.

2 Há um par de semanas, Jesus garantia que a presença na final da Liga Europa dava mais prestígio do que ganhar três ou quatro campeonatos. Ora, depois de a derrota no Dragão ter deixado o terceiro campeonato que disputa pelo Sporting à distância de um milagre, Jesus parece ter redefinido objetivos, colocando a Liga Europa no topo das prioridades, se não tanto dos leões em geral, pelo menos dele em particular. A questão é que, depois de três anos sem chegar ao título de campeão, não obstante o enorme investimento realizado pela SAD no treinador e no plantel, o espaço de Jesus em Alvalade começa a estreitar-se. Ora, como desta vez a presença de Sérgio Conceição no Dragão esvazia a habitual chantagem emocional com o suposto interesse do FC Porto, como o regresso à Luz é pouco menos que impossível e a menos que Bruno de Carvalho se recuse a assumir que se enganou, o destino de Jesus pode mesmo passar pelo estrangeiro. E aí, todo o prestígio que conseguir amealhar na Liga Europa será pouco para impressionar quem lhe possa garantir o nível salarial dos últimos anos.