Ferraris e unhas

Jorge Maia

Tópicos

Está a chegar a hora de Jesus justificar o ordenado milionário que ganha

1 - No mesmo dia em que ficou a saber que vai receber 988 mil euros pela cedência de jogadores à Seleção Nacional durante o Euro"2016, o Sporting voltou a pagar o preço de não ter a maior parte desses jogadores em condições de contribuir para a equipa. João Mário foi transferido para o Inter, Adrien continua lesionado e William deixou que a falta de intensidade que tem marcado o seu futebol nos últimos tempos se refletisse na falta de convicção com que partiu para a conversão de uma grande penalidade que podia ter ajudado a escrever uma história diferente na Choupana. Em forma, apenas Rui Patrício, que evitou males maiores, mas não conseguiu disfarçar a insegurança de uma equipa bipolar, que reflete em campo as hesitações de um treinador que parece estar à procura de uma solução com base no método de tentativa e erro. A sete pontos do Benfica, com o FC Porto a escapar-se por entre os dedos e com o fantasma das ressacas da Champions a tornarem o Arouca num gigante, o Sporting chega ao início de novembro com a época em risco. Por outras palavras, está na hora de Jesus justificar o ordenado que ganha e mostrar que tem unhas para conduzir qualquer carro: ganhar com Ferraris é fácil.

2 - Faz tão pouco sentido a marcação de jogos na Choupana para as 21 horas este ano como fazia no ano passado. É verdade que ontem as coisas correram bem e a ameaça do nevoeiro não chegou a passar disso mesmo, mas conhecendo a natureza imprevisível do clima naquela zona da ilha da Madeira, este horário é um convite à confusão, anulando qualquer margem para eventuais ajustamentos em tempo útil e potenciando as polémicas que sempre acompanham os adiamentos numa altura em que o calendário aperta. De resto, o facto de se ter disputado outro jogo, em Lisboa, às 19 horas só torna a situação mais incompreensível. Era de supor que se tivesse aprendido alguma coisa com os maus exemplos.