Amor de verão

O caso de amor entre Herrera e o FC Porto é eterno... enquanto durar

1 - No mesmo dia em que Herrera garantiu que se o preço de cada título do FC Porto for uma ferida no sobrolho, ele está disponível para pagá-lo sem hesitações, o empresário do mexicano assegurou a O JOGO que, esta época, a porta de saída do Dragão está fechada, admitindo até sentar-se para falar com a SAD sobre a renovação mais adiante. Não será uma conversa fácil, essa. Herrera está no último ano de contrato e dificilmente o FC Porto terá argumentos suficientes para convencê-lo a continuar a sangrar a camisola azul e branca enquanto enxota os tubarões que vai atraindo e que continuam à espera da oportunidade ideal para abocanhá-lo. O mais provável é que esta seja mesmo a última temporada de Herrera no Dragão, mas os adeptos portistas sempre podem encontrar algum conforto na certeza de que, enquanto estiver no FC Porto, o mexicano estará de coração e alma. É mais ou menos como dizia o poeta e como a maior parte de nós aprende logo na adolescência: o amor é eterno... enquanto dura.

2 - O primeiro grande debate entre candidatos à presidência do Sporting ficou marcado pelo protagonismo de - rufar de tambores... - Bruno de Carvalho. Ele próprio. Mesmo fisicamente ausente, o presidente destituído foi uma presença constante nas intervenções dos pretendentes ao trono. Fosse porque uns o apoiaram declaradamente, fosse porque outros foram arrasados por ele em eleições, fosse porque sim ou porque não, Bruno de Carvalho pairou por ali como uma assombração. De tal maneira que a sensação que fica é que o Sporting não precisa de eleições: precisa de um exorcismo.