A única solução boa

Jorge Maia

Tópicos

Disputar as jornadas que faltam, concluindo o campeonato e fazendo as contas no fim, é a única forma de evitar injustiças.

A única solução boa para qualquer campeonato é concluí-lo.

PODE ACEDER A TODA A EDIÇÃO D'O JOGO AQUI

Ora, mesmo com toda a incerteza que rodeia a propagação do coronavírus, com as previsões mais otimistas a apontarem para que o pico seja atingido em Portugal apenas no final de abril, a decisão de adiar o Europeu para o próximo ano, que deverá ser anunciada hoje pela UEFA, deixa essa possibilidade em aberto.

Claro que sobram várias questões por resolver, desde logo aquela que para já não tem resposta: quando será possível retomar os jogos? Ainda assim, o adiamento do Europeu abre a possibilidade de prolongar a temporada até 12 de julho, o que, pelo menos no caso português, poderá ser o suficiente para disputar as dez jornadas que faltam. Naturalmente, considerando que os contratos de muitos jogadores terminam a 30 de junho, tal implicaria o prolongamento excecional desses vínculos de forma amigável, o que, por sua vez, exigiria alguma boa vontade por parte dos atletas em causa, que, por sinal, têm dado nos últimos dias várias provas de um sentido de responsabilidade acima de qualquer reparo.

De resto, mesmo que não fosse possível chegar a acordo com esses atletas, mesmo que tal implicasse disputar os jogos que faltam com plantéis fragilizados por esse facto, concluir o campeonato jogando as jornadas que faltam e fazendo as contas no fim será sempre uma solução melhor do que a inevitável guerra civil que será desencadeada por qualquer outra.