Premium O reaparecimento de um velho Porto

O reaparecimento de um velho Porto

JOGO DO BICHO - Este é o Porto que foi campeão há duas épocas e que jogou assim na maior parte da época passada

O FC Porto deu ontem a resposta obrigatória, depois do desaire com o Krasnodar. Mas fez alguma coisa de extraordinário? Não, este foi afinal um velho Porto, o Porto que conquistou o campeonato há duas épocas e que jogou assim na maior parte da época passada.

O FC Porto das duas últimas derrotas não é aquele que estamos habituados a ver. A forma poderosa como entrou no jogo de ontem, agressivo sobre a bola, rápido a reagir à perda, demolidor a atacar, deixou o V. Setúbal sem respiração, sem nunca conseguir encontrar espaço para perturbar Marchesin (fê-lo apenas por uma vez na primeira parte). De resto, o jogo foi jogado em 60/70metros, um jogo de um só sentido; na segunda parte, e quando o V. Setúbal conseguiu alargar esse espaço, o FC Porto soube fazer a gestão como tem que fazer uma equipa grande. E ficaram alguns golos por marcar. Não houve novidades tácticas ou estratégicas. Foi uma equipa a jogar em 4x4x2, como sempre, com um bom trabalho dos médios Romário Baró e Luiz Diaz, a procurarem bem os espaços interiores. Foi então uma resposta excelente, viu-se também, por vezes, uma equipa que parecia revoltada contra o mundo, mas só tem que estar revoltada com ela própria e com aquilo que fez menos bem nos jogos com o Gil Vicente e o Krasnodar. Este foi um FC Porto que deu outra vez prazer ver jogar - os primeiros 20 minutos são de um nível muito elevado e que abre naturalmente certezas para o que vai o FC Porto nesta temporada.