Premium Rigor!

Um número inusitado de expulsões de treinadores foi ordenado. Estranhamente, verifica-se que os sancionados, são punidos pelo Conselho de Disciplina apenas com multa

Depressa e bem há pouco quem! No passado domingo, sobre Pablo Santos (Braga) ter ficado descalço durante o jogo da sua equipa disputado no estádio do Dragão, escrevi. "Descalço, embora no terreno, jamais pontapeou o esférico ou perturbou ação de adversários. Fazendo-o a sua equipa seria punida com pontapé livre indireto no local da infração e ele advertido com exibição de cartão amarelo". A abordagem foi, compreensivelmente curta, porém, terá suscitado dúvidas e dichotes críticos por eventual falta de rigor face a alterações implementadas no início da temporada. Ora, a Lei IV dita: "O equipamento do jogador compreende as seguintes peças separadas: ... - calçado", complementando: "Se um jogador perder acidentalmente uma bota ou uma caneleira, deve substituí-la logo que possível e, o mais tardar, na paragem de jogo seguintes; se, antes de o fazer, jogar a bola e/ou marcar um golo, o golo deve ser validado". Entenda-se: Jogador que ao conduzir a bola, perde acidentalmente a bola, não fica impedido de continuar a jogar podendo, inclusive, obter golo. Situação, esta, distinta da ocorrida com o bracarense, o qual, insista-se, caso tivesse jogado a bola nas circunstâncias em que se encontrava, "atuaria de uma maneira que demonstrava falta de respeito pelo jogo" situação prevista na Lei XII - Faltas e incorreções, na parte respeitante a Advertências por comportamento antidesportivo!

Exorbitam autoridade!