Exclusivo Bruno Paixão é, foi, fruto da estupidez

Bruno Paixão é, foi, fruto da estupidez

Sim, Bruno Paixão jamais teve competência para a função desempenhada, porém não se entende o silêncio ensurdecedor dos sempre disponíveis, para antemurar o indefendível, papagaios da confraria, dita associação de classe

Depois do escabroso espetáculo acontecido no Dragão, nada melhor que, sem escrupuloso escrutínio, soltar labéu de corrupção envolvendo um ex-árbitro em prol do clube da Luz. Ninguém responsável, sem provas concludentes, poderá afirmar culpa ou inocência do visado. Até lá, Bruno Paixão será único sabedor das linhas que cosem as vicissitudes em que se encontra. Certo é cada um de nós ser aquilo que quis ser.