O que BdC não sabe e Fernando Gomes sabe tão bem

O que os sportinguistas querem não é ter ganho o campeonato: é ganhar o campeonato. E isso é que não há maneira.

A insistência de Bruno de Carvalho na história dos 22 campeonatos ofereceu a Fernando Gomes uma oportunidade de ouro para dar de si mesmo uma imagem de equidade. Vindo do FC Porto e conotado tantas vezes com os interesses estratégicos do Benfica, o presidente da Federação pôde assim, sem esforço, criar uma comissão (a ver se eu não me engano no eufemismo oficial) para estudar a categorização das competições internas, de cujo trabalho - depreende-se vagamente - pode vir a sair um parecer conveniente às pretensões do Sporting.

Naturalmente, nada daqui resultará em favor dos ditos 22 campeonatos. E se resultar, bem vistas as coisas, é pior. Para Fernando Gomes, porque terá levado a FPF a ceder a um argumentário absurdo. Para o Sporting, porque terá queimado um cartucho que ainda lhe podia ser útil numa situação de necessidade a sério. E para os adversários do Sporting porque... pensando bem, porque é que haveria de ser mau para os adversários do Sporting isso de o Sporting ter 22 campeonatos? Quem é que se interessa verdadeiramente se o Sporting tem 18 ou 22 campeonatos?

Nem os sportinguistas, e esse é que é o maior equívoco do presidente leonino. Claro: vença o Sporting esta insólita demanda e Bruno de Carvalho pode sempre marcar quatro dias de caravana automóvel até ao Marquês, um por cada campeonato. Talvez deva até agendá-los para fins de semana diferenciados, de modo a fazer render o peixe. Quanto aos sportinguistas, não me canso de dizê-lo: reescreverem-se os livros de história é coisa para um aplauso entediado, duas conversetas de café e vamos mas é às aquisições. O que os sportinguistas querem não é ter ganho o campeonato: é ganhar o campeonato. E isso é que não há maneira.