Grande Prémio do Estoril!

1 Depois da vitória, com ultrapassagem, no Grande Prémio do Estoril, ficaria surpreendido se o FC Porto não fosse campeão.

Cinco pontos de vantagem, a onze corridas do fim, não dão a garantia de chegar na frente, mas são uma belíssima almofada.

O Porto tem uma grande vantagem: é a única equipa que depende de si própria. O carro azul e branco é o único que pode parar nas boxes para ser assistido. Os outros têm de correr sem parar e esperar que os portistas tenham os problemas que não tiveram até aqui.

A vitória no Estoril valeu, logicamente, pelos três pontos, mas não só... Valeu também pelo suplemento anímico que isso deu à equipa de Sérgio Conceição e pelo efeito contrário que, seguramente, teve nos rivais.

Gostava também de dizer isto: o primeiro golo do Porto, frente ao Estoril, foi obtido de forma irregular.

O golo deveria, na minha perspectiva, ter sido anulado por fora de jogo.

Escrevi aqui, há umas semanas, que os Dragões eram, na minha óptica, a equipa mais prejudicada do campeonato. É com a mesma independência e isenção que afirmo que este golo na Amoreira não devia ter valido.

É importante, também, que se diga que a formação azul e branca foi muito superior ao Estoril. Já esperava um Porto forte, mas não esperava um Estoril tão fraco.

Também já aqui tinha escrito que o FC Porto era o meu favorito à conquista do título de campeão nacional. Continuo a pensar da mesma forma. O Porto tem sido a melhor equipa do campeonato.

Mas atenção...! Faltam onze Grandes Prémios.

2 A minha música da semana vai para Iker Casillas. O internacional espanhol recuperou a titularidade e penso que já não voltará a perdê-la.

A música para Casillas é uma adaptação do tema "Que Viva a Espanha".

Fica assim para Casillas:

"Defende a baliza do Porto...

Re-gre-ssou Casillas...

Que sempre brilhou em Madrid...

Falta ganhar aqui..."

3 Havia muitas favas mas ao Sporting saiu o brinde! Nem a pedido tinha corrido melhor!! Jogar os oitavos-de-final da Liga Europa frente ao Viktoria Plzen é, em teoria, o melhor que podia acontecer à equipa leonina.

Entre as várias hipóteses estavam alguns tubarões: Atlético de Madrid, Arsenal, Borússia Dortmund, Milan...

Mas o Sporting teve sorte no sorteio, e ainda bem. Agora, é confirmar o favoritismo e passar aos quartos-de-final. A equipa de Jorge Jesus é mais forte do que o líder do campeonato da República Checa e seria uma enorme desilusão se o Sporting não ultrapassasse este obstáculo.

Por isso, concentração, nada de facilitar, porque a qualidade da equipa de Alvalade, em condições normais, vai fazer a diferença.

Com o Porto praticamente eliminado da Liga dos Campeões, com o Braga fora da Liga Europa, o Sporting passa a ser a bandeira portuguesa no velho continente.

Não vai ser fácil, mas gostava muito de ver a equipa de Jorge Jesus numa final europeia.

Força, Leões!

4 Participei esta semana, juntamente com o meu camarada e amigo da Antena 1, Fernando Eurico, numa iniciativa louvável e muito bonita do Santa Clara.

O desafio passava por relatarmos uma jogada que envolvesse os nomes de todos os clubes de futebol que disputam as competições profissionais em Portugal.

Uma jogada onde entraram os 33 clubes que jogam nas duas ligas profissionais.

O palco escolhido para este jogo de cavalheiros foi o Estádio Nacional. Um relato de um jogo fictício no Jamor.

Eu e o Fernando Eurico demos o nosso melhor e, sem falsas modéstias, penso que resultou muito bem.

Mas o grande mérito é do Santa Clara. Um clube "pequeno", mais uma vez, a dar o exemplo.

Parabéns ao Santa Clara.

Da minha parte e do Fernando Eurico, o abraço de sempre. Foi um gosto enorme ter participado. Este é o Futebol que nós amamos. E é bom saber que não somos os únicos a pensar assim.