Opinião

João Ricardo Pateiro

VAR de Mota!

1 - A arbitragem de Manuel Mota no Estoril-Sporting foi um exemplo daquilo que deve ser a correcta utilização do videoárbitro. Cinco estrelas para o árbitro da Associação de Futebol de Braga e para Luís Ferreira, que foi o videoárbitro desse jogo. Manuel Mota demonstrou, com esta belíssima actuação, que, afinal, não é assim tão complicado tirar o melhor partido da ajuda que o videoárbitro pode dar. Sereno e com um tempo de intervenção muito acertado, Manuel Mota deu um contributo enorme para a verdade desportiva nesse jogo. Deixo ficar só este exemplo: se o árbitro não tivesse esperado pela conclusão do lance de Ewandro e tivesse interrompido a jogada por fora de jogo, não teria havido 2-0. Esta arbitragem deveria ser vista e analisada por todos os árbitros para servir de exemplo. Parabéns ao Manuel Mota e ao Luís Ferreira. Até pareceu fácil. E como o juiz de Braga tem um talho, deixo ficar este piscar de olho: foi atar e pôr ao fumeiro!

João Ricardo Pateiro

Porto Sentido!

1 - O FC Porto tem-se queixado muito das arbitragens e, na minha perspectiva, tem razão. Os dragões têm sido prejudicados em vários jogos. Dos quatro empates que os portistas consentiram apenas em um deles a arbitragem não prejudicou a formação azul e branca. Aconteceu em Alvalade, onde a equipa de Sérgio Conceição até foi superior ao Sporting, mas empatou, sem que o árbitro tenha tido interferência no desfecho do clássico. Nos outros três empates, nas Aves, em Moreira de Cónegos, e no Dragão, frente ao Benfica, o FC Porto foi, claramente, prejudicado pelas arbitragens.Não consigo entender, por exemplo, que o videoárbitro, Manuel Oliveira, não tenha dado indicação ao árbitro, Luís Ferreira, de que o guarda-redes do Moreirense fez falta para grande penalidade sobre o central, Felipe!...O lance é demasiado evidente para passar despercebido! Já aqui o escrevi: sou um defensor do videoárbitro. Penso que esta ferramenta, se for bem utilizada, vai trazer verdade desportiva. Aliás, já trouxe em várias situações. Agora, é preciso que os critérios sejam iguais para todos... E não estão a ser. O que aconteceu em Moreira de Cónegos, no Moreirense-FC Porto, descredibiliza o videoárbitro.Não falo tanto do golo anulado, por um eventual fora-de-jogo, na última jogada da partida, porque tenho dúvidas quanto à legalidade do lance. Mas mesmo aqui, em caso de dúvida, os árbitros devem beneficiar a equipa que ataca.Resumindo, o FC Porto não tem tido sorte com as arbitragens. Falo assim porque não acredito na premeditação do erro. O FC Porto anda sentido e tem motivos para isso.Escrevo esta crónica sem saber os resultados e as incidências dos jogos deste fim-de-semana.