Opinião

João Ricardo Pateiro

Central de problemas!

1 - Não é fácil uma equipa resistir a tantos erros individuais como aqueles que o Sporting cometeu em Madrid. Coates e Mathieu tiveram falhas infantis e ofereceram dois golos ao Atlético de Madrid. Fábio Coentrão e Bas Dost viram cartões amarelos de uma forma perfeitamente absurda e vão ficar fora do jogo da segunda mão. Montero falhou um golo nos últimos segundos do jogo de forma escandalosa. Tudo isto é verdade, mas a reacção do presidente do Sporting é inadmissível. Bruno de Carvalho não é um adepto!... Não é um comentador!... Bruno de Carvalho é o presidente do Sporting, mas não se comportou como tal. O que o líder leonino escreveu nas redes sociais é muito grave. Pior ainda é Bruno de Carvalho não ter a noção da gravidade daquilo que escreveu. Não me recordo de uma situação parecida. O que está a acontecer em Alvalade já entra no domínio do surreal! Não consigo imaginar os efeitos que isto possa ter, mas não serão seguramente efeitos positivos. O Sporting continua a ter uma capacidade de se autodestruir que não é vulgar. Depois disto, e depois das proporções que isto ganhou, penso que Bruno de Carvalho não tem condições para continuar na presidência do Sporting. Ele até pode continuar a pensar que o que disse não teve gravidade! Mas teve. Foi muito grave. Foi tão grave que eu penso que não tem conserto.

João Ricardo Pateiro

Foi você que pediu um Abel Ferreira?!

1 - Não se fala muito nele. Diria que faz a carreira em pezinhos de lã... Mas começa a ser impossível não reparar em Abel Ferreira, por muito que o treinador do Braga prefira adotar um estilo low profile. Não se trata apenas de constatar os resultados (que são muito bons). O que mais impressiona é a qualidade de jogo da equipa do Braga. Pode argumentar-se: "Ah!... mas o Braga tem um excelente plantel." OK, é verdade. Mas isso não significa, por si só, que os resultados sejam bons. É obrigatório que o trabalho diário seja muito bem feito. E, seguramente, o trabalho de Abel Ferreira terá muita qualidade. A sete jornadas do fim do campeonato, o Braga está no quarto lugar, com 21 pontos de vantagem sobre o quinto (Rio Ave) e apenas quatro pontos de desvantagem para o terceiro (Sporting)... E no próximo fim-de-semana há um Braga-Sporting! Um duelo que pode ser decisivo na luta pelo terceiro lugar. Se o Braga vencer, vai lutar com o Sporting até ao fim. Se a vitória sorrir à equipa de Alvalade, os leões vão continuar a perseguir o segundo lugar (continuo a pensar que o título é uma miragem para a equipa de Jorge Jesus). Curiosamente, o empate é um resultado que não interessa nem ao Braga nem ao Sporting. Prevejo por isso um grande jogo na próxima jornada do campeonato. Não vai ser fácil para a equipa de Jorge Jesus defrontar este Braga, que tem uma das melhores ideias de jogo do campeonato. E o mérito é de Abel Ferreira, que, curiosamente, já orientou a equipa B do Sporting!... E não saiu lá muito bem de Alvalade...

Roteiro do Pateiro

Leões fora da corrida

1 - O Porto ganhou o clássico, reforçou a condição de favorito à conquista do título e, na minha perspectiva, afastou o Sporting da corrida. Com oito pontos de desvantagem, que na prática são nove, não acredito que a equipa de Alvalade possa terminar o campeonato no primeiro lugar. Curiosamente, este foi o melhor clássico que o Sporting jogou nesta época. Pela primeira vez, esta temporada, os leões não foram inferiores aos dragões. O Porto venceu por 2-1, mas penso que o resultado não espelha aquilo que foi o jogo. O empate seria o desfecho que melhor reflectiria aquilo que se passou nos 95 minutos.

João Ricardo Pateiro

Five O'Klopp!

1 - O jogo estava marcado para as 19h45 (hora Champions), mas na verdade foi às Five O"Klopp! O FC Porto até entrou bem no jogo, mas esse período só durou 20 minutos. A equipa de Sérgio Conceição podia, inclusive, ter marcado primeiro, por intermédio de Otávio, mas depois veio o descalabro... Os rapazes de Jurgen Klopp serviram um verdadeiro Chá das Cinco em pleno Estádio do Dragão!... Nunca os portistas tinham saboreado um chá tão amargo em casa! A diferença foi enorme!... Foi tão grande que até se torna ridículo falarmos de um ou outro erro de arbitragem que prejudicou o FC Porto. Por exemplo, o segundo golo nasce de uma falta que não foi assinalada pelo árbitro italiano e, na segunda parte, James Milner deu tanta fruta que é incrível que tenha terminado o jogo sem ver o cartão amarelo! Mas, como disse, nem vale a pena falar disso... a diferença de qualidade foi brutal. Confesso que não esperava um descalabro destes. Até achava provável que o Liverpool ganhasse o jogo por 1-0, por 2-0, por 3-1... Agora, por 5-0!?! Aquela frente de ataque da formação inglesa, com dois africanos e um brasileiro, encheu-me as medidas. Vejo, principalmente nas redes sociais, os rivais gozarem com esta derrota do FC Porto... Assim como vi o mesmo quando o Benfica foi goleado pelo Basileia (aqui ainda foi mais humilhante porque os suíços não têm, nem de perto nem de longe, a qualidade do Liverpool.) À luz da nossa cultura latina, é normal que isto aconteça. Passa-se o mesmo em Espanha e Itália. Mas esquecem-se todos de algo muito mais importante: quando uma coisa destas acontece, não é apenas muito mau para o clube que sofre essa goleada... é muito mau para todo o futebol português, para a imagem que damos para fora. Mas ninguém parece estar muito preocupado com isto! Aliás, até parece mal estar preocupado com estas coisas!! Somos logo acusados de ser românticos e totós!!! Pois, a mim, pouco me importa que me chamem romântico ou totó. Fico triste e preocupado quando estas coisas acontecem. Tinha acabado de relatar uma vitória categórica do FC Porto, sem cinco titulares, em Chaves. Aí, os dragões fizeram de Liverpool... Para lá do Marão, mandou o Sérgio Conceição! O problema foi depois... Contra o Liverpool, como diria Manuel Machado, o FC Porto foi carne para canhão!

João Ricardo Pateiro

VAR de Mota!

1 - A arbitragem de Manuel Mota no Estoril-Sporting foi um exemplo daquilo que deve ser a correcta utilização do videoárbitro. Cinco estrelas para o árbitro da Associação de Futebol de Braga e para Luís Ferreira, que foi o videoárbitro desse jogo. Manuel Mota demonstrou, com esta belíssima actuação, que, afinal, não é assim tão complicado tirar o melhor partido da ajuda que o videoárbitro pode dar. Sereno e com um tempo de intervenção muito acertado, Manuel Mota deu um contributo enorme para a verdade desportiva nesse jogo. Deixo ficar só este exemplo: se o árbitro não tivesse esperado pela conclusão do lance de Ewandro e tivesse interrompido a jogada por fora de jogo, não teria havido 2-0. Esta arbitragem deveria ser vista e analisada por todos os árbitros para servir de exemplo. Parabéns ao Manuel Mota e ao Luís Ferreira. Até pareceu fácil. E como o juiz de Braga tem um talho, deixo ficar este piscar de olho: foi atar e pôr ao fumeiro!

João Ricardo Pateiro

Porto Sentido!

1 - O FC Porto tem-se queixado muito das arbitragens e, na minha perspectiva, tem razão. Os dragões têm sido prejudicados em vários jogos. Dos quatro empates que os portistas consentiram apenas em um deles a arbitragem não prejudicou a formação azul e branca. Aconteceu em Alvalade, onde a equipa de Sérgio Conceição até foi superior ao Sporting, mas empatou, sem que o árbitro tenha tido interferência no desfecho do clássico. Nos outros três empates, nas Aves, em Moreira de Cónegos, e no Dragão, frente ao Benfica, o FC Porto foi, claramente, prejudicado pelas arbitragens.Não consigo entender, por exemplo, que o videoárbitro, Manuel Oliveira, não tenha dado indicação ao árbitro, Luís Ferreira, de que o guarda-redes do Moreirense fez falta para grande penalidade sobre o central, Felipe!...O lance é demasiado evidente para passar despercebido! Já aqui o escrevi: sou um defensor do videoárbitro. Penso que esta ferramenta, se for bem utilizada, vai trazer verdade desportiva. Aliás, já trouxe em várias situações. Agora, é preciso que os critérios sejam iguais para todos... E não estão a ser. O que aconteceu em Moreira de Cónegos, no Moreirense-FC Porto, descredibiliza o videoárbitro.Não falo tanto do golo anulado, por um eventual fora-de-jogo, na última jogada da partida, porque tenho dúvidas quanto à legalidade do lance. Mas mesmo aqui, em caso de dúvida, os árbitros devem beneficiar a equipa que ataca.Resumindo, o FC Porto não tem tido sorte com as arbitragens. Falo assim porque não acredito na premeditação do erro. O FC Porto anda sentido e tem motivos para isso.Escrevo esta crónica sem saber os resultados e as incidências dos jogos deste fim-de-semana.