Os dias do fim

João Araújo

Tópicos

Mercado de transferências caminha rápido para o encerramento, a par do aumento dos níveis de ansiedade entre treinadores e jogadores

1 Sérgio Conceição garantiu que as escolhas que fez para o jogo com o Arouca nada tiveram a ver com o mercado. Dos dois elementos dos dragões que mais têm ouvido os "cantos de sereia" de além-fronteiras, Corona e Sérgio Oliveira, um não foi convocado e o outro não saiu do banco. O treinador justificou-o com as conclusões que tira dos treinos e da semana de trabalho, o que é incontestável. E o adjetivo também se aplica à instabilidade que estes dias criam nas equipas e clubes, dos administradores de topo à base da hirarquia, mas sobretudo nos homens do campo. Dos dois portistas referidos, aos leões Palhinha e Nuno Mendes ou até aos rumores a envolverem David Luiz para o Benfica, ninguém fica indiferente, desde os envolvidos aos companheiros. Uns precisam de vender, outros querem manter e há quem ainda procure reforçar-se, num sprint final do mercado que é uma montanha de possibilidades e de ansiedade. Depois, com os plantéis e as contas serenados (ou pelo menos em banho-maria...), já não haverá dúvidas sobre se é ou não o mercado a "sentar" jogadores.

2 As transmissões televisivas, a nível técnico mas também de realização, têm evoluído no sentido de mostrar todos os detalhes do jogo, dos lances espetaculares aos esgares de dor, dos foras de jogo milimétricos aos insetos que esvoaçam em torno dos jogadores... Às vezes é, no entanto, nos grandes planos que estão os detalhes fabulosos. Contraditório? Em Paços de Ferreira, os adeptos de Vizela e Boavista deram um espetáculo de cor e som a fazer lembrar um futebol apaixonante de antigamente (pré, pré, pré-pandemia!); em Famalicão, perante o assédio da equipa da casa à baliza de Adán, foi-nos mostrado o capitão do Sporting, Coates, numa "jogada" pouco vista mas que pode ser decisiva: a dar um grito para chamar os companheiros à ordem.

3 Rui Pedro Soares, presidente da BSAD, afirmou anteontem que o Moreirense (SAD) ia descer de divisão devido a um processo em que foi condenado (o clube, pré-constituição da SAD). Para bem da imagem do próprio Rui Pedro Soares, é expectável que saiba mais do que disse, pois se alguém deve perceber aquilo que une e separa clube e SAD será ele.