Exclusivo Os adeptos, pouco mais do que acidente de percurso

Os adeptos, pouco mais do que acidente de percurso
João Araújo

Tópicos

CONTRA-GOLPE - Opinião de João Araújo

Arsène Wenger aproveitou uma entrevista ao jornal "L"Équipe" publicada na sexta-feira para voltar a fazer campanha pelo Mundial a cada dois anos, ideia que não é nova e que o responsável da FIFA pelo desenvolvimento do futebol já tinha divulgado há meses.

Para o francês, o plano além de exequível é, até, melhor para clubes e seleções. As pausas das competições internas para compromissos de seleções ficariam reduzidas a duas janelas, em outubro e março (ou, idealmente, a uma só), além da fase final, claro. Um Mundial a cada dois anos significaria, também, um Europeu (e restantes provas continentais) com a mesma periodicidade, de forma alternada, ou seja, a cada final de temporada haverá uma fase final.