Aparência de adversário ideal

Desfalcada e sem ganhar fora há quatro meses, uma equipa que nunca venceu no Dragão visita a que não perde há 57 jogos

1 - O Portimonense que hoje joga no Dragão traz um atestado de equipa competente fora de casa, mas as cinco vitórias como visitante aconteceram antes de janeiro. Desde aí, nos sete jogos seguintes, o melhor que fez foram três empates.

Na origem deste abaixamento de forma esteve, logicamente, a debandada do plantel a partir de janeiro, incluindo titulares como Fali Candé, Aylton Boa Morte e, já esta semana, Lucas Fernandes. Vida difícil para Paulo Sérgio, que além disso, entre lesões e castigos, terá várias outras ausências.

É que se a liga portuguesa é vendedora e viveiro dos maiores campeonatos europeus, a cujos cantos de sereia e cifrões é impossível até aos grandes resistir (leia-se Luis Díaz, por exemplo), mais abaixo na tabela fazem-se outras contas, igualmente de sobrevivência e bem patentes na referida atitude da SAD algarvia no mercado de transferências, ou do Santa Clara, que, navegando igualmente tranquilo na tabela, ao longo da época já negociou vários goleadores.

Perante cenário com aparência tão favorável, não resta alternativa a Sérgio Conceição se não evitar que o seu plantel se iluda, mantendo-o sob tensão. Até porque um deslize em vésperas do dérbi de Lisboa seria vitamina extra para a equipa de Rúben Amorim que, olhando aos dados do desgaste de ambas, bem poderá ser aquilo que precisam os benfiquistas...

2 - O Gil Vicente somou ontem o quarto jogo sem ganhar e vê o V. Guimarães crescer no retrovisor. Mas não foi por falta de ocasiões para ganhar: foi "culpa" de Luiz Junior, guardião do Famalicão, que fez três defesas tão difíceis como decisivas no ocaso do encontro. Quem disse que os guarda-redes não marcam golos?