Saída em falso

Consta que a birra de Kalinic se deveu à pouca utilização. Tem de pôr os olhos no Mário Rui, que foi obrigado a passar férias na Rússia e não piou.

A maior saída em falso, neste Mundial, não foi de um guarda-redes mas de Kalinic. O avançado do Milan e, em tempos (mais propriamente há um mês) da Croácia. No primeiro jogo da fase de grupos Zlakto Dalic mandou Kalinic aquecer mas este queixou-se de dor nas costas, recusando ir a jogo. O selecionador expulsou-o do grupo, alegando que já era a terceira vez que ouvia a mesma desculpa. Se calhar o ponta de lança tem mesmo uma lombalgia. Devia falar com o especialista que curou Bruno de Carvalho, que nunca mais teve queixas. Consta que a birra de Kalinic se deve à pouca utilização. Tem de pôr os olhos no Mário Rui, que foi obrigado a passar férias na Rússia e não piou. Até para amuar é preciso timing. Veja-se o caso de Ricardo Carvalho, que pegou no carro e se pôs a andar, em 2012, um ano em que, sim senhora, chegámos às meias-finais, mas fomos eliminados dramaticamente pelos espanhóis. Ricardo deve ter assistido em casa, com alívio, por não ter de marcar nenhum penálti. E depois ainda voltou para ganhar o Euro"2016. Este domingo Kalinic vai estar em casa, triste, a ver o jogo na TV. E nem sequer vai poder consolar-se com generosos decotes, já que a FIFA proibiu imagens de beldades nas bancadas. Eu gostava é que impedissem homens feios de aparecer. Os de campo ainda se admite, que estão a trabalhar, mas os outros, com chapéu de jóquer e sem dentes, era escusado.