Novos festejos de golo

Não percebo essa mania de chutar a bola para dentro da baliza depois do golo. Assim também eu! É urgente criar novos festejos

Sentimento de vazio, angústia, sensação de que a vida não faz sentido. Podem ser sintomas de depressão ou o reflexo do primeiro dia de pausa no Mundial. Mais doloroso do que este jejum só a bola a bater em cheio na cara de Batshuayi, no festejo belga. Não percebo essa mania de chutar a bola para dentro da baliza depois do golo. Assim também eu! É urgente criar novos festejos. Deixo sugestões para os quatro golos que Portugal vai (evidentemente) marcar ao Uruguai. Ronaldo inaugura o marcador e, em vez de cofiar a barbicha, corta-a. O ex-cunhado Zé entra em campo com uma máquina de barbear e trata disso. Aproveita e apara também a de Rúben Dias, que parece ter ficado preso no clube de fãs dos Limp Bizkit. Gelson festeja com um salto mortal, celebrando não só o golo mas o facto de não termos de levar com Nani. Guedes comemora agarrando nas orelhas, em frente a Suárez (o que equivale a mostrar naco de lombo ao cão de Pavlov). Falta-nos Éder, que tinha sempre a luva branca escondida nas meias, mas André Silva pode levar um passaporte, como quem diz "quero voar de Milão para um sítio com vista para competições europeias!". E pronto, depois de injustamente eliminada por 5-4, a seleção voltará a Portugal e será bem recebida, apesar de termos a mesma dor na cabeça (e na alma) que o avançado da Bélgica.