Mundial virou Euro

Ver franceses a ganhar enerva-me sempre. Se Lukaku falar português, como falou na conferência, vai enervar os gauleses, que não gostam muito de ouvir essa língua fora de táxis ou obras

Já está tudo a pensar no grande jogo que aí vem, não é? Portugal-Itália, a 10 de setembro. Ah, estavam a pensar no do Mundial? Essa competição é tão "primeiro semestre de 2018"! Sempre foi sobrevalorizada, toda a gente sabe que prestigiante mesmo é vencer a Liga das Nações. Mas já que insistem, falemos dessa prova. Ver franceses a ganhar enerva-me sempre. Nem que estejamos a falar da Juliette Binoche a receber um Óscar. Não é xenofobia, é só trauma. Sempre que os vejo festejar vem-me tudo à memória. Parecem aquelas frações de segundo antes de um acidente, em que a vida nos passa à frente. Vejo a mão do Abel Xavier, o penálti do Zidane, o outro penálti do Zidane, depois do Henry ter dado ares de Neymar, e até aquele jogo "amigável" dos 4-0. Com amigos destes quem precisa de inimigos? Por tudo isso serei belga na meia-final. Se Lukaku falar português, como falou na conferência, vai enervar os gauleses, que não gostam muito de ouvir essa língua fora de táxis ou obras. Este encontro franco-belga soa pouco a Mundial e mais a Festival de BD da Amadora. Culpa do árbitro Mazic, que teve má vontade, não assinalando nenhum dos 27 penáltis reclamados pelos brasileiros. Agora temos de levar com um Mundial transformado em Euro. As coisas que eles inventam para deixarmos de ser campeões europeus em título!