Honra aos vencidos

Se é para sair de prova, mais vale fazê-lo no início, com discrição. É como ir ao cinema e aproveitar o intervalo para fugir

Hoje os derrotados do Mundial parecem ser Brasil, Rússia, Suécia e Uruguai. É por isso que defendo que, se é para sair de prova, mais vale fazê-lo no início, com discrição. É como ir ao cinema e aproveitar o intervalo para fugir. No magote de gente ninguém nos topa. Se a 10 minutos do fim nos tentarmos escapulir já seremos fulminados com olhares. É injusto, deviam valorizar o tempo que aguentámos aquele filme. Neymar pode até ter rebolado muito, mas só rebola até às 4 da manhã quem ainda está a curtir a festa. Os russos falharam grandes penalidades mas estavam lá. E toda a gente sabe que quando chega a fase dos penáltis, até um russo pode cair para trás. Ainda estavam a ressacar da última ronda de shots com os espanhóis. O Guronsan ajuda mas não faz milagres. Nem a Gazprom, que costuma dar sempre uma mão à recuperação russa, quanto mais! A Suécia foi amassada pelos ingleses (Quem nunca? Basta ter saído à noite na Oura), mas pode contar aos amigos que foi 1.ª no grupo que amassou a Alemanha (feito mais raro, mesmo na Oura). O uruguaio Giménez chorou em campo mas pelo menos levou com os pés nos "quartos" e com uma forte candidata à vitória final. Sempre é melhor do que levar tampa uma semana antes... Também nos fizeste chorar, Giménez! O que vale é que já ninguém se lembra disso.