Premium Dérbi terá sempre um cenário azul

Dérbi terá sempre um cenário azul

TÁTICA DO PROFESSOR - O cenário de mais este dérbi entre Sporting e Benfica tende a ser claramente favorável ao FC Porto, que, se cumprir vencendo em Guimarães, num jogo sempre muito difícil contra uma equipa bem orientada e desejosa de voltar a melhores tempos, há de sempre lucrar, seja qual for o resultado em Alvalade.

1 - O cenário de mais este dérbi entre Sporting e Benfica tende a ser claramente favorável ao FC Porto, que, se cumprir vencendo em Guimarães, num jogo sempre muito difícil contra uma equipa bem orientada e desejosa de voltar a melhores tempos, há de sempre lucrar, seja qual for o resultado em Alvalade. Se o Sporting perder, arrumará de vez um rival na luta pelo título; se o Benfica perder, alargará a vantagem de cinco pontos e entrará em definitivo no trilho da vitória no campeonato. Um empate também deixará os portistas a sorrir. E há sempre o Braga a espreitar a possibilidade de ficar isolado no segundo lugar. É então neste quadro que se disputa o dérbi e, por causa desta obrigação, a de vencer, não o enquadro num outro tipo de jogo que não seja o de um jogo aberto, liberto de espartilhos táticos, com cada jogador a ter esse espírito de vitória presente em cada lance. Por tudo isto, é de esperar uma tarde entusiasmante, com golos, como se quer num jogo de futebol. Claro que as estratégias podem sempre ser redefinidas com o desenrolar da partida, mas à partida devemos esperar um jogo muito animado entre duas boas equipas, que chegam a este dérbi com ambientes emocionais diferentes. O Sporting conquistou a Taça da Liga, mas logo a seguir encalhou em Setúbal, cedendo um empate que o deixou mais longe do primeiro lugar. Aliás, o comportamento do Sporting no campeonato tem sido uma desilusão, ao contrário do Benfica, que chega a este dérbi depois de uma vitória gorda sobre o Boavista, naquele que foi o seu quarto triunfo consecutivo. Por isto, não será difícil de imaginar quem chega em melhores condições a este jogo. Mas... é isso, um dérbi, e ao longo da história temos muitos exemplos de que nem sempre quem está à partida melhor em termos emocionais, e mesmo de classificação no campeonato, se consegue superiorizar num jogo destes, tão cheio de histórias, tão cheio de história, que prende as atenções dos portugueses que gostam de futebol. Em quatro dias, os adeptos vão ter dois dérbis entre os dois rivais de Lisboa e que podem decidir muito do futuro destas duas equipas. No campeonato, pode ter um carácter determinante embora não definitivo, mas o jogo de quarta-feira, para a Taça de Portugal, pode deixar perceber quem vai estar no Jamor, embora fique ainda a segunda mão por fazer. Quero, com tudo isto, dizer que emoção no futebol português, no momento, não falta. E esperemos só que a fadiga das equipas, ditada por um quadro competitivo anormalmente preenchido, não venha a ter influência na qualidade dos jogos, no de hoje e no de quarta-feira.

2 - Deixem-me assinalar e saudar a vitória do Catar na Taça Asiática. Uma vitória que me deixou muito feliz, porque me sinto um bocadinho parte dela. Oito jogadores da minha equipa, o Al-Sadd, fizeram parte do onze que conquistou a prova na final com o Japão, alcançando esse feito com um percurso imaculado, já que venceu os sete jogos da fase final, sofrendo apenas um golo. Não é muito normal isso acontecer, não sei se há muitos casos assim. Mas o que me deixa mais satisfeito é ver que os jogadores souberam crescer mentalmente, que apresentam uma qualidade muito agradável e que souberam encontrar o caminho das vitórias. A felicidade que trouxeram para o Catar é algo que nos toca imenso e que é relevante, com a organização do próximo Mundial já à porta. Foi, sem dúvida, uma vitória muito importante.