Exclusivo Não há um benfiquista que não apoie o presidente no profundo saneamento que urge fazer

Não há um benfiquista que não apoie o presidente no profundo saneamento que urge fazer
Jaime Cancella de Abreu

A JOGAR FORA - Opinião de Jaime Cancella de Abreu

1 - Quem não conhece aquela máxima do futebol que diz que "quem não marca, sofre", ou, em linguagem mais prosaica, "quem não mata, morre"? No Benfica estamos assim: ou o Rui Costa acaba com o estado letárgico do nosso futebol ou o estado letárgico do nosso futebol acaba com o Rui Costa.

Não há um único benfiquista que não apoie o presidente no profundo saneamento que urge fazer no plantel, no staff, na estrutura, no diabo que carrega o Benfica de cima a baixo; mas nenhum benfiquista lhe perdoará se em tempo útil não o fizer. A deslavada vitória em Arouca contra uma das mais fracas equipas da liga não atenuou esta necessidade - agravou-a.

2 - Se acomode ou se incomode - é esta a dicotomia que marca o momento encarnado. Num grupo de trabalho mais do que acomodado, jamais as novas dinâmicas que Nelson Veríssimo pretende implementar "com o comboio em andamento" conseguirão fazer a locomotiva mover-se nos carris que conduzem às exibições de encher o olho e aos resultados que valem títulos.