Premium O futebol é isto?

Como é que membros da Direção, desautorizados desta maneira, não se demitem de imediato?

Bem sei que o tempo agora corre muito rápido, que os rodapés dos ecrãs deslizam à velocidade da luz, que tudo se perde e nada se transforma - mas vamos parar por um segundo, pode ser? Desculpem, caros amigos, deixem-me ver se percebi. A Direção do Benfica tomou a decisão de despedir Rui Vitória, mas, nessa mesma noite, o presidente foi dormir ao Seixal e teve uma iluminação em sentido contrário? Foi isto que aconteceu? Será possível? De certeza que não é nenhum delírio de jornalista, nenhum gozo de cartoonista, nenhuma invenção de "fake-newsista"? Como é possível? Como é que isto acontece no nosso Glorioso, caramba? Como é que os membros da Direção, desautorizados desta maneira, não se demitem de imediato? Como é que alguém tem o descaramento de governar o nosso clube em jeitos de "quero, posso e mando"?

Do que percebi da conferência de Imprensa dada pelo presidente depois dessa epifania no centro de estágios, o volta-atrás terá por base o valor da estabilidade (em geral) e o investimento na formação (em especial). Mas estamos a falar de que estabilidade, ao certo? A estabilidade de levar cinco golos de um Bayern em crise num jogo que tínhamos de ganhar, ou a de perdermos miseravelmente com o Moreirense na Catedral do futebol? Quanto ao investimento na formação, todos aplaudimos Gedson, Rúben e Félix, como é óbvio. Mas quem deu cobertura ao míster que não deixava Bernardo Silva sentar-se no banco sequer? E quem é que, por estes dias, cometeu o pecado antimística de pôr em cima da mesa o regresso ao Benfica do ex-treinador do Sporting de Bruno de Carvalho?