O futebol andará mais louco dentro ou fora dos relvados?

O futebol andará mais louco dentro ou fora dos relvados?
Hugo Sousa

Tópicos

Benfica não cede, Marítimo não pontua e o Braga não desarma. Boavista cresce, Sporting e FC Porto murcham

A vitória do Benfica ainda deu um toque de normalidade - afinal, sempre é um grande a fazer grandes resultados - mas quase tudo o resto nos conduz a uma pergunta (que, hoje em dia, pode ser também coisa perigosa): o futebol andará mais louco dentro ou fora dos relvados? A terceira derrota do Sporting e a inconstância de resultados do FC Porto sugerem que será dentro, mas, depois, há adeptos ferozes a fazer tudo para equilibrar a loucura da balança do lado de fora. Literalmente ferozes.

Entre crianças forçadas a ver jogos em tronco nu, ou assustadas ao colo dos pais em claro desespero por ameaças grotescas, e pedradas a carros de familiares de treinadores, a sensação de que o absurdo é o novo normal cresce a olhos vistos. Pedro Proença, presidente da Liga, e João Paulo Correia, secretário de Estado da Juventude e Desporto, lá vão fazendo copy paste, copiar e colar, de palavras de condenação. Sem ação à vista.

Há uns anos, aqui no jornal, o melhor que conseguíamos do então responsável informático quando estávamos em situações de desespero com loucuras da tecnologia era um sereno "desliga o computador e volta a ligar". A maior parte das vezes funcionava, e talvez este futebol precise também de desligar e voltar a ligar. O Braga, esse, está ligadíssimo à corrente.