Premium João Mário muda de atitude e, agora sim, pode brilhar no Inter

João Mário muda de atitude e, agora sim, pode brilhar no Inter

VISTO DE ITÁLIA - Nas duas primeiras épocas em Milão, as coisas não correram bem a João Mário, mas não foi o único culpado.

João Mário está de volta. É ver para crer. Foi titular contra a Lázio dez meses depois do último jogo com o Inter, para incredulidade de toda a Itália. Jogou bem, com uma atitude muito melhor do que aquela que havia demonstrado na sua última aparição em janeiro, contra a Fiorentina, antes de ser emprestado ao West Ham. É verdade que em Florença jogou como extremo, fora da sua posição, mas também se percebia que já estava com a cabeça noutro lado. Contra a Lázio, demonstrou mais garra, mais vontade, mais alegria no rosto, ofereceu qualidade ao meio-campo, pediu bola, desmarcou-se bem, ofereceu linhas de passe. Parece outro e agora está pronto para brilhar em San Siro. Tarde, mas sempre a tempo.

Nas duas primeiras épocas em Milão, as coisas não lhe correram bem, mas não foi o único culpado. Como atenuante, tem o facto de ter jogado várias vezes fora da sua posição natural, as constantes trocas de treinadores, que nunca são boas para quem tenta adaptar-se, e a forma como a sua milionária contratação (45 milhões) foi conduzida, por um empresário e com a direção desportiva à margem de todo o processo. Quando assim é, o jogador sofre sempre as consequências no clube.