Premium "Grazie" ao CR7 cresce uma nova geração em Itália

"Grazie" ao CR7 cresce uma nova geração em Itália

VISTO DE ITÁLIA - O CR7 não joga com a camisola da Itália, mas são muitos os jogadores-chave da equipa treinada por Roberto Mancini que beneficiaram com a sua chegada à Serie A.

Fernando Santos disse esta semana que a seleção portuguesa melhorava com a presença de Cristiano Ronaldo, porque todos davam um pouco mais. Este efeito também se repercute na seleção italiana. O CR7 não joga com a camisola da Itália, mas são muitos os jogadores-chave da equipa treinada por Roberto Mancini que beneficiaram com a sua chegada à Serie A. Os casos mais impressionantes são os de Bernardeschi e Kean, que desde que se juntaram a Ronaldo, estão a viver o ápice das suas carreiras.

Federico Bernardeschi mudou-se para Turim no verão de 2017, mas na primeira época foi acusado de não estar à altura do escudo do clube devido a um rendimento muito descontínuo. Desde que chegou Ronaldo, o extremo parece outro e já superou inclusive Dybala na hierarquia dos companheiros de ataque do português. Bernardeschi cresceu muito ao lado de Ronaldo, os dois são amigos e partilham os mesmo gostos por um estilo de vida saudável, treino intenso, atenção a todos os mínimos detalhes e descanso. Dentro e fora do centro de treinos, o italiano é um dos mais ligados ao CR7 e o seu rendimento contra o Atlético de Madrid foi surpreendente. Com Dybala no banco, foi Bernardeschi o autor de duas das jogadas decisivas do encontro. Hoje, o extremo é um pilar da seleção italiana e a sua explosão vai ter consequências no caso Dybala, que está com um pé fora de Turim.