Premium Futuro de João Mário é prioridade

Futuro de João Mário é prioridade

VISTO DE ITÁLIA - Não espero uma revolução em janeiro, mas no verão, sim, e o dossiê João Mário é uma prioridade.

O homem-forte da Juventus da última década entrou esta semana oficialmente nas chefias do Inter. Beppe Marotta, 61 anos, é o novo administrador da área desportiva. Chegou para comandar, não só as contratações, mas o dia a dia do clube, dos jogadores, equipa técnica e funcionários. Não é um duro, mas é um organizador que gosta de ter tudo sob controlo. Um método que funcionou na Juventus e que se espera traga resultados ao Inter. Agora Marotta ditará o passo e os outros seguirão o ritmo. O primeiro deles será tentar segurar Spalletti até ao verão e fazer ver aos jogadores que a época não terminou com a amarga eliminação da Champions. Segundo passo: o mercado. Não espero uma revolução em janeiro, mas no verão, sim, e o dossiê João Mário é uma prioridade. O ex-jogador do Sporting foi a grande contratação da era Suning (45 milhões de euros) e, apesar do bom rendimento das últimas semanas, os resultados, no geral, não foram os esperados. Marotta foi contratado a peso de ouro também para resolver casos complicados, como os de João Mário e Gabigol. O clube já lhe comunicou que não quer perder mais dinheiro com os dois elementos contratados em 2016 e o novo administrador estuda uma solução. João Mário teve o mérito e a capacidade de dar a volta a uma situação muito negativa e voltar a ser importante para o grupo, algo que o clube lhe reconhece. No entanto, o seu futebol não foi feito para os esquemas de Spalletti e isso só pode mudar caso o técnico saia a meio da época, o que é improvável. Além disso, Marota já tem objetivos concretos para o meio-campo da próxima época, a começar pelo croata Luka Modric e a terminar nos italianos Barella e Tonali. Perante este cenário, o que deve fazer o Inter agora? Aproveitar a maré positiva e tentar vender o médio em janeiro, através de uma fórmula de um empréstimo com opção ou obrigação de compra, ou esperar pelos meses mais quentes para encerrar este dossiê definitivamente? A decisão está nas mãos do novo homem-forte do Inter, mas uma coisa é certa, desta vez, o divórcio será definitivo.