Premium CR7: Juventus cresce, mas ainda não dá lucro

CR7: Juventus cresce, mas ainda não dá lucro

VISTO DE ITÁLIA - Pelos dados do orçamento 2019, já publicados, dá para concluirmos que a Juventus ainda não lucrou financeiramente com o dossiê Ronaldo; isso não quer dizer que não tenha ganho pontos na sua estratégia de expansão mundial.

O impacto desportivo e mediático da transferência de Cristiano Ronaldo para Turim foi imediato, mas o financeiro ainda vai demorar alguns anos para produzir efeitos nos cofres bianconeri. Andrea Agnelli, presidente da Juventus, tinha perfeita noção de que o lucro não seria imediato e demonstrou-o logo após a contratação do avançado português, explicando aos sócios que o objetivo da Juve é "transformar-se no maior clube do mundo em 2024". Porquê 2024? Essa não foi uma data atirada ao acaso. Na verdade, será um ano em que o futebol mundial vai sofrer mudanças e até lá a Juve espera, com a ajuda de Ronaldo, anular totalmente a distância para os tubarões europeus. É inegável que com a chegada do jogador português, o valor e a notoriedade da marca Juve multiplicaram-se pelo mundo fora, mas isso não se reflete já no orçamento do clube. Por isso é que as notícias reproduzidas esta semana levaram os leitores a tirar conclusões erradas, porque a transferência de Ronaldo ainda não foi paga com a venda de camisolas.

Realmente, na época passada a Juve vendeu 1 315 000 camisolas 7, gerando lucros na casa dos 170 milhões de euros. No entanto, de acordo com o velho contrato estipulado entre o clube e a Adidas, na época 2015-2016, o emblema de Turim só lucrou 18% desse valor (cerca de 30 milhões) e mais alguns bónus por ter superado a fasquia estabelecida para as vendas. A chegada do capitão da seleção permitiu, sim, à Vecchia Signora negociar um novo contrato com a marca de material desportivo alemã, com condições mais vantajosas, mas que só entrou em vigor esta temporada e terá duração até 2026/2027. Pelos dados do orçamento 2019, já publicados, dá para concluirmos que a Juventus ainda não lucrou financeiramente com o dossiê Ronaldo; isso não quer dizer que não tenha ganho pontos na sua estratégia de expansão mundial. Falando apenas de valores, as receitas geradas pelo cinco vezes Bola de Ouro, na sua primeira época em Turim, rondaram os 46,29 milhões de euros (merchandising, comercial e venda de bilhetes), mas os 100 milhões de euros transferidos ao Real Madrid mais os 54 milhões brutos do salário do craque pesam na ordem dos 80 milhões ao ano no orçamento bianconero. Ainda vai demorar algum tempo para a Juventus igualar esse valor e depois ter lucros financeiros, mas esse dia vai chegar e o impacto será tão grande que o clube vai continuar a lucrar com o efeito CR7, mesmo quando ele já estiver longe de Itália.