Exclusivo Lenços brancos para um ultrapassado

Lenços brancos para um ultrapassado
Carlos Tê

Tópicos

FOLHA SECA - Um artigo de opinião de Carlos Tê.

O adepto português deve ser o único do mundo que usa lenço branco para vetar o treinador. Não lhe chega o assobio, a vaia, é o lencinho que refina o desagrado. Se o treinador for um veterano, junta-se-lhe o anátema da desactualização. É o caso de Jorge Jesus, a quem os benfiquistas mostram lenços não porque os resultados sejam maus, mas pela passagem por Alvalade, cheia de imperdoáveis juras de amor.

Recentemente, o capitão Otamendi tê-lo-á confrontado com a insatisfação do grupo pela rudeza com que trata os jogadores, sobretudo os novos. Jesus pertence a uma escola que ocupa o balneário com o seu ego volumoso e inquestionável, um modelo de liderança devedor da velhacaria criativa do cineasta Alfred Hitchcok, que rebaixava os actores para os tornar mais moldáveis. Mas a cultura do berro e da desanda entronca na afirmação do nosso futebol no mundo - um método de superação do velho complexo de inferioridade.