Exclusivo Afinal era cedo para cantar vitória

Afinal era cedo para cantar vitória

Que o episódio tenha ocorrido entre um alvará de competição e o clube português mais titulado, é uma curiosidade. A culpa não será de ninguém. Sobrará para os regulamentos, obviamente.

O pessoal que não gosta de futebol tem razão quando diz não entender a sua popularidade. Eu também não entendo, mas, das teorias que a tentam explicar, há uma intrigante: o futebol concentra aptidões que elevaram a Humanidade ao topo da pirâmide evolutiva, destreza, técnica, cálculo, entreajuda. Vence o mais forte, o mais expedito, mas também o mais solidário e o mais organizado.