O Sérgio Conceição é o culpado disto tudo

O Sérgio Conceição é o culpado disto tudo

Faltam-lhe as bochechas rosadas para ser um Ferguson, mas não há mal nenhum que Sérgio continue por cá mais uns anos.

E, pronto, foi bom mas acabou o campeonato 2021/22, com um campeão que pintou o futebol de azul branco, que conseguiu até bater o recorde de pontos, ter a defesa menos batida, e ter a ousadia de mais uma vez fazer a primeira festa no Estádio da Luz, onde mora um rival que partiu para este campeonato com promessas de grandes cometimentos, mas que acabou a uma longa distância.

O Benfica de Jesus foi mau, e devia ter sido bom, até olhando ao investimento que fez, o Benfica de Veríssimo virou-se para a Champions e fez boa figura, o Sporting foi um digno vencido, mostrando ao mundo do nosso futebol que aquele Sporting que nos natais estava morto, agora mantém-se vivo.

Rúben Amorim mudou a cara do clube que até à época passada tinha vivido 19 anos sem fazer a festa no Marquês. O azar deste Sporting foi ter batido de frente com o FC Porto de Sérgio Conceição, uma grande equipa que conseguiu reinventar-se mesmo depois de perder aquele que deu grandes momentos a este campeonato e que agora encanta na Premier League, Luis Díaz. Sérgio Conceição disse, a dado momento da época, que era mais difícil ser campeão no FC Porto; é sempre mais difícil, realmente, quando se luta contra a injustiça e contra o poder mediático que têm os clubes de Lisboa, principalmente o Benfica. Isto não é provincianismo, é a realidade, o país ainda é Lisboa e o resto é paisagem, mas a paisagem por vezes é mais colorida do que Lisboa, que é uma cidade bonita e cheia de luz.

Sérgio Conceição é, quanto a mim, o culpado disto tudo. Pela sua força, pela sua mentalidade competitiva, pela astúcia tática, e pela coragem que tem de dizer aquilo que lhe vai na alma. Saber se ele vai continuar no FC Porto é a distração do momento, eu não sei se vai, mas tenho a certeza de que não há portista que não deseje que ele continue. Nos tempos que correm, será difícil transformar-se num Ferguson, até porque lhe faltam as bochechas rosadas, mas não teria mal nenhum que Sérgio continuasse no futebol português, o mesmo é dizer no FC Porto, por mais uns anos. Ver a Avenida dos Aliados outra vez cheia é muito bonito - significa que vamos convivendo melhor com esse vírus estúpido e que Rui Rio e os que pensam como ele já eram.

Este campeonato trouxe-nos ainda um surpreendente Gil Vicente, a mostrar que é possível fazer muito com pouco dinheiro - e revelou-nos também que o Braga ainda vai ter de penar muito até ser mesmo candidato ao título. Não é fácil qualquer clube meter-se no poder instituído pelos crónicos três candidatos. Precisamos de um Leicester nas nossas vidas.

Diogo Costa
O jovem guarda-redes do FC Porto é, para mim, a grande revelação deste campeonato. Ganhar o lugar a Marchesín, que é um guarda-redes de grande qualidade, já diz muito do seu valor. Afirmou-se na baliza do FC Porto e ganhou também o espaço de Rui Patrício na Seleção. É um ano que não vai esquecer, e quem gosta de futebol gosta de o ver na baliza.

Ricardo Horta
Vou elegê-lo como o grande mistério do futebol português. Ao vê-lo jogar, ao ver a quantidade de golos que marcou - tornou-se anteontem, no melhor goleador de sempre do Braga, fica muito difícil entender como é que não merece uma chamada à Seleção Nacional. Parece que estará a caminho do Benfica, pode ser que, se se concretizar, fique mais próximo da Seleção.

Darwin
Muito se especulou sobre o dinheiro que o Benfica pagou por um jogador que veio da segunda liga espanhola, mas hoje já ninguém discutirá isso. Foi uma excelente contratação, tornou-se numa fera, e vai com certeza render muitos milhões de euros ao Benfica. Foi o rei dos goleadores, com todo o mérito. Despeçam-se dele. O futebol português tem pouco dinheiro...