Premium "Pepe é a maior contratação de inverno do futebol português desde Vítor Baía"

"Pepe é a maior contratação de inverno do futebol português desde Vítor Baía"

A hipótese de que todos têm falado - formar dupla com Pepe e Felipe, passando Militão para lateral-direito - é tão óbvia como faz... pouco sentido.

Pepe no FC Porto é a maior contratação de inverno do futebol português desde que, em janeiro de 1999, Pinto da Costa repescou Vítor Baía para garantir um objetivo maior chamado penta. Também o Sporting teve em 2000 uma intervenção de mercado - André Cruz, César Prates e Mbo Mpenza - que ajudou a pôr fim a um jejum de 18 anos, mas esta chegada de um dos melhores centrais que alguma vez vestiu a camisola da Seleção Nacional é diferente enquanto reforço. Tal como aconteceu com Baía, Pepe é nesta altura prenúncio de garantia e mobilização, independentemente do que possa vir a acontecer a seguir.

A discussão do momento é como enquadrá-lo na melhor defesa do campeonato, partindo do princípio de que Pepe não voltou para ficar a ver jogar. Sérgio Conceição só tem motivos de contentamento, porque se lhe abrem novas perspetivas. A hipótese de que todos têm falado - formar dupla com Pepe e Felipe, passando Militão para lateral-direito - é tão óbvia como faz... pouco sentido. É óbvia por via das rotinas antigas no S. Paulo; faz pouco sentido porque Militão é dos três o único rotinado a jogar como central do lado esquerdo e, mais ainda, pelo extraordinário rendimento que tem exibido e o tornou valiosíssimo. E porque não jogar com os três? Passar a uma defesa a três faz todo o sentido quando tem um lateral-esquerdo que voa no corredor (passaria a posicionar-se mais à frente) e problemas na lateral direita. Maxi está num momento mau, Corona como lateral numa defesa a quatro tem problemas a defender e é um desperdício em termos de ataque. Numa defesa a três, seria só um ala a partir uns metros mais atrás, com mais espaço para jogar sabendo ter as costas quentes.