Jogos de um só resultado

Carlos Machado

Tópicos

Esta Seleção tem crédito junto dos portugueses, mas Ronaldo tem de jogar

Portugal tem hoje um compromisso tão sério quanto estranho na caminhada rumo ao Mundial da Rússia. Estou inteiramente de acordo com o Luís Freitas Lobo, meu vizinho aqui do lado, Andorra é da III Divisão; misturar decisão, Campeonato do Mundo e Andorra na mesma frase é demasiado esquisito, quase bizarro, mas é o cenário do momento. O confronto é até demasiado importante para se descuidarem pormenores, como um relvado sintético que não pode ser usado como desculpa nem a possibilidade de Ronaldo ver um cartão amarelo o deverá impedir de jogar.

A utilização de CR7 foi perguntada com insistência a Fernando Santos, que esteve quase, quase a confirmar a presença - quando disse que antes do jogo com a Suíça há o de Andorra -, mas acabou por aproveitar a curiosidade para deixar no ar uma dúvida que não tem. Estando bem fisicamente, e se não o estivesse teria sido poupado à viagem, Ronaldo tem de jogar. Pelo que vale e representa, pelos golos e recordes, mas principalmente para conferir ao jogo importância e seriedade. Esta seleção tem jogos maus como qualquer outra, mas nem nesses jogos se lhe pode apontar o mínimo defeito no tocante a querer e entrega. Este Portugal tem crédito, é campeão da Europa na raça e no trabalho, exibe princípios e filosofia, não pode voltar a ser aquele capaz de empatar de forma negligente no Liechtenstein (2-2) quatro dias antes de esmagar a Rússia por 7-1.

Faltando dois jogos para garantir o Mundial, há que ganhar ambos e seguir em frente. Se Fernando Santos hoje tira Ronaldo ou outros ao segundo golo para minimizar riscos, tanto faz. Este e o próximo são jogos de um só resultado: ganhar.