A onda e a ressaca

Carlos Machado

Tópicos

O Benfica foi eliminado da Champions ao som de aplausos. Se Vitória fintar a desilusão do grupo, a mobilização popular poderá fazer andar as pernas

O Benfica saiu da Champions deixando a Luz acesa e essa poderá ter sido uma importante vitória no jogo de ontem. Ninguém de bom senso poderá considerar o desfecho inesperado, porque surpreendente foi mesmo a réplica dada ao Bayern, uma demonstração assinalável de força e maturidade, num jogo em que até faltou muita gente importante. Para a história regista-se uma participação honrosa e uma saída de cabeça erguida, para o imediato fica a tributação dos adeptos à equipa em forma de aplauso. Se conseguir passar ao lado da ressaca - e Rui Vitória tem feito uma gestão notável do grupo -, está criada a onda que poderá ajudar a decidir a Liga.

A capacidade de mobilização popular do Benfica, a onda colorida que se espalha pelo país, fator importantíssimo nas dinâmicas de vitória, e que o Sporting está também a tentar rendibilizar - basta ouvir o modo como os treinadores desses clubes falam dos e para os adeptos (ao contrário do FC Porto, que tem vindo a deixar-se ficar para trás) -, pode ser determinante neste final de temporada. É inevitável que as pernas dos benfiquistas vão pesar mais do que as dos sportinguistas, mas há movimentos imparáveis.

O Benfica que defrontou a Académica pensava no jogo de ontem, passou a custo mas seguiu em frente. A resposta a dar agora, depois da saída da grande montra e de terminado o sonho, ditará o desfecho da I Liga.