Opinião

Carlos Machado

Parar o futebol

A indústria do futebol português ameaça estar pronta para ir à guerra, fazendo fé nas palavras de Carlos Pereira, presidente do Marítimo e porta-voz dos clubes após mais uma Cimeira dos Presidentes. Parar o futebol - atente-se que não se trata do futebol profissional, mas sim de todo o futebol - da forma ligeira como o foi anunciado, soa mais a afronta pontual em tempo de discussão do Orçamento de Estado (terá ido tão longe o pensamento estratégico?) do que a ameaça real.