Cara e coroa no Grupo E

Um comentário do jornalista António Pires

No único grupo, o E, que conta com dois campeões do Mundo, as estreias de Espanha e Alemanha não podiam ser mais díspares. A Mannschaft procurava redimir-se do desastre de há quatro anos, em que falhou a defesa da coroa mundial com uma estrepitosa eliminação na fase de grupos, onde perdeu com México a abrir e a Coreia do Sul a fechar.

Tal como sucedera com a Argentina, na véspera, a Alemanha dominou a primeira parte, adiantou-se de penálti, mas na segunda metade consentiu a reviravolta ao Japão, com Asano a confirmar a surpresa num lance em que aproveitou a desatenção da defesa germânica.

Quanto à Espanha, onde Luis Enrique voltou a estar na mira da crítica pelas suas escolhas, obteve a sua maior vitória de sempre em Mundiais, um 7-0 obtido com impressionante facilidade face a uma Costa Rica com muitos jogadores "fora de prazo".