Premium "Ao contrário de outras "madonnas", Casillas encarnou a alma subtil da cidade"

"Ao contrário de outras "madonnas", Casillas encarnou a alma subtil da cidade"

Casillas falou sobre a cidade do Porto. Os Portuenses agradecem. Até acho que todos agradecem, mesmo os que, no futebol, defendem outras cores que não as do guarda-redes espanhol.

Há dias, numa discussão privada e algo brincalhona sobre política e cidades, daquelas em que não é nada contra Lisboa mas tudo contra o centralismo da capital, um dos intervenientes sugeriu a construção de duas estátuas no Porto: uma ao dono da Ryan Air e outra a Iker Casillas.

Num misto de gastronomia regada a preceito e alguma memória não descartável, lá concluímos que o senhor irlandês não estava tão merecedor quanto isso, porque os voos que então vieram para o Porto teriam, numa fase inicial, o objetivo de servir o turismo de Lisboa a baixo custo. A operação da companhia aérea, rezam algumas teorias, só estacionou no Porto porque, na altura, a infraestrutura de Vigo era mais cara e não servia Madrid como o Porto poderia servir Lisboa. Sem certezas sobre a matéria e com a dúvida instalada, desistiu-se da primeira ideia.