Exclusivo Como Vieira diz nas escutas, as vitórias desportivas encobriam tudo

Como Vieira diz nas escutas, as vitórias desportivas encobriam tudo
Álvaro Magalhães

Tópicos

VISTO DO SOFÁ - Um artigo de opinião de Álvaro Magalhães.

A revelação das escutas feitas a Luís Filipe Vieira e seu universo circundante tem animado os nossos pardos dias futebolísticos. Depois de anos e anos de falsas virtudes e outras aparências enganosas, chegou, finalmente, a verdade.

E é caso para fecharmos os olhos e taparmos os ouvidos. Agora sabe-se que declarações públicas de amor e dedicação ao clube («Amo-te Benfica, estou aqui para te servir») tinham, no reverso, manifestações privadas de interesse e cupidez («Eu tenho de receber esse dinheirinho», diz Vieira a alguém numa das escutas, referindo-se ao seu quinhão secreto na transferência de Talisca para a China). E como duvidar desta acusação do MP quando o próprio Jorge Mendes diz, numa dessas conversas escutadas, que o ex-presidente do Benfica ganhava o dobro ou o triplo com negócios de transferências?