O JOGO lançou o desafio e os treinadores escolheram: esta é a equipa do ano na II Liga

O JOGO lançou o desafio e os treinadores escolheram: esta é a equipa do ano na II Liga

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

João Maia / Cláudia Oliveira

Tópicos

Há tradições que... ainda são o que eram. Por isso, O JOGO, voltou a pedir aos 18 treinadores da II Liga (e fizemos o pleno, sem qualquer abstenção de resposta) que elegessem o melhor onze da prova de 2020/21. A eleição mostra a predominância de atletas do emblema que segue na liderança deste campeonato, o Estoril (com quatro jogadores), e da língua portuguesa (nove atletas).

O Estoril consegue ter presença nos três sectores de jogo: Hugo Gomes (central) na defesa, João Gamboa e Miguel Crespo no meio campo, e Aziz no ataque. O ponta de lança ganês, Aziz, conseguiu mesmo recolher a maior votação deste desafio: 13 votos, em 18 possíveis.

Nesta equipa ideal, onde se evidencia a mistura entre a juventude e a experiência, há também, em todos os sectores de jogo, um atleta experiente a equilibrar a irreverência dos jovens. Começa com Paulo Vítor na baliza (de 32 anos) e termina com Feliz, no ataque. No meio campo, Nuno Coelho, é o mais velho desta equipa, depois de uma carreira longa no primeiro escalão.

A falar português temos os atletas lusos Guilherme Ramos, Gui Ferreira, Nuno Coelho, Miguel Crespo, João Gamboa, Francisco Conceição e Feliz. Paulo Vítor e Hugo Gomes também falam português, embora mais açucarado com o sotaque brasileiro.

Com seis equipas representadas, o FC Porto B, com a eleição de Francisco Conceição (com uma distância de votos elevada para a concorrência), é a única da metade inferior da tabela classificativa a eleger um atleta para este onze ideal. Conceição é, simultaneamente, o atleta mais jovem desta equipa. O Vizela, recém-chegado ao clube dos profissionais, consegue eleger um atleta, o lateral direito Koffi, que ajudou o emblema a subir, na última temporada.

Os treinadores tinham como regras não votar em jogadores da equipa que orientam e, por uma questão de ser mais justa a contagem dos votos, indicar jogadores para um sistema de 4x3x3 (sim, este sistema também é uma tradição e gostamos de as manter).