Portugal organiza prova de acesso à Liga das Nações em 2020

Portugal organiza prova de acesso à Liga das Nações em 2020

Portugal disputou pela primeira vez este ano a Liga das Nações de voleibol.

Portugal vai receber em 2020 a Challenger Cup, no pavilhão multiusos de Gondomar, de 24 a 28 de junho, prova que dará acesso em 2021 à Liga das Nações, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional de Voleibol (FIVB).

"Estou muito satisfeito com o facto de a Challenger Cup regressar a Portugal, pois, após organizar com sucesso a competição em 2018, fica claro que os adeptos portugueses são apaixonados por voleibol e desejam a realização de um número cada vez maior de eventos de elite organizados no seu país", referiu o presidente da FIVB, Ary Graça.

O vice-presidente da Federação Portuguesa de Voleibol (FPV), Vicente Araújo, realçou a honra que é para Portugal ser selecionado para anfitrião da Challenger Cup pela segunda vez.

"É uma oportunidade fantástica poder receber em Portugal cinco prestigiadas seleções dos vários continentes e eu sei que os nossos atletas se sentem empolgados por poderem lutar por uma presença na Liga das Nações de 2021 perante o seu entusiástico público", referiu Vicente Araújo.

Portugal disputou pela primeira vez este ano a Liga das Nações de voleibol - prova que sucedeu à extinta Liga Mundial -, após ter conseguido vencer a final da Challenger Cup de 2018, em Matosinhos, feito que constituiu um marco na sua história.

Em 2020, a seleção portuguesa, orientada por Hugo Silva, que falhou em 2019 a permanência na Liga das Nações, vai disputar a Liga de Ouro Europeia, tentando repetir o feito de 2018 em que atingiu a final four da prova.

Independentemente de se apurar através da vitória na final four da Liga de Ouro Europeia, Portugal tem já reservado, na qualidade de anfitrião, um lugar na Challenger Cup, em que irá disputar o acesso à Liga das Nações com as seleções apuradas nos torneios continentais.

O selecionador nacional, Hugo Silva, não tem dúvidas sobre a importância de disputar em casa uma competição que permanece como o maior feito de uma seleção portuguesa de voleibol e que permite o regresso à elite mundial da modalidade.

"No ano passado, a presença na Liga das Nações foi um momento de grande impacto para aquilo que nós queríamos, que era jogar ao nível mais alto. Foi uma experiência única e que teve uma resposta incrível por parte do público, que encheu o pavilhão em todos os jogos", referiu.

O selecionador reconheceu que a organização da Challenger Cup é fundamental para Portugal ambicionar uma nova presença na Liga das Nações.

"Em 2018, quando organizámos pela primeira vez a Challenger Cup, fizemos uma Liga de Ouro Europeia que poucos esperariam: atingimos a final four e tivemos alguns resultados surpreendentes", explicou Hugo Silva.

Na Challenger Cup estão envolvidas as melhores seleções de cada continente, que aspiram ascender à Liga das Nações.

"Em 2018, fomos nós os representantes da Europa a conseguir erguer esse importante troféu, que continua a ser o de maior expressão conquistado pelas seleções nacionais e que, ninguém o esconde, seria um sonho poder repetir", acrescentou Hugo Silva.