João Coelho: "Não pode acontecer, nenhum atleta começou a jogar voleibol há dois dias"

João Coelho: "Não pode acontecer, nenhum atleta começou a jogar voleibol há dois dias"
Redação

Tópicos

Declarações de João Coelho (treinador do Sporting) após o jogo Sporting-Benfica (1-3), da 12.ª jornada do campeonato português de voleibol, realizado no Pavilhão João Rocha, em Lisboa:

Sobre o jogo: "Fizemos um jogo muito intranquilo e [fomos] precipitados a trabalhar a bola quando ela estava má. Achávamos que quando ela estivesse boa era fácil de controlar. Não fomos displicentes, mas ingénuos, se calhar, é a palavra certa. Isso não pode acontecer, porque nenhum atleta começou a jogar voleibol há dois dias.

Gestão: "Temos tido alguns problemas com a gestão da equipa, algumas alterações forçadas, mas para se jogar no alto nível tem de se saber trabalhar a bola, não perder jogo e não ser precipitados à espera da melhor oportunidade. Não fizemos isso durante o jogo todo. Até parece que errámos mais serviços que o adversário, mas foi igual. Os nossos foram bem mais despropositados."

Abordagem: "Esta abordagem aos jogos tem de mudar de forma drástica, porque nos tira o conforto do jogo e andamos sempre atrás do prejuízo. Ninguém consegue ser esclarecido a perder dois ou três pontos seguidos durante o jogo inteiro. Temos de saber controlar o jogo quando estamos atrás, igual a como se estivéssemos à frente. Não aconteceu hoje e não tem acontecido noutros jogos."

O que falta: "Ainda bem que isto acontece nesta fase, porque assim toda a gente percebe que muito do que nos está a faltar depende de nós. Não é só o mérito do adversário, que jogou a um bom nível, mas o que nós não jogamos. Saio daqui terrivelmente chateado, porque podemos perder, mas temos de cair muito de pé e não a achar que ficou a faltar algo".