Voleibol masculino: campeão olímpico sofreu, mas derrotou a Argentina

Voleibol masculino: campeão olímpico sofreu, mas derrotou a Argentina
Redação com Lusa

Tópicos

A fechar o programa da segunda jornada na Arena Ariake, a Argentina esteve bem perto de protagonizar o que seria uma grande surpresa.

O Brasil, campeão olímpico de voleibol masculino, teve uma noite de trabalhos dobrados em Tóquio, apenas conseguindo superar a Argentina pela margem mínima no quinto set e após ter estado a perder por 2-0.

Mais fácil foi a jornada para os polacos, duplos campeões do mundo, em 2014 e 2018, que emendaram a derrota da primeira ronda ante o Irão para uma clara vitória sobre a Itália, a relançar as suas pretensões no torneio de Tóquio'2020.

A fechar o programa da segunda jornada na Arena Ariake, a Argentina esteve bem perto de protagonizar o que seria uma grande surpresa e chegou a 2-0, com parciais de 25-19 e 25-21. Os campeões estavam então no seu pior momento do confronto, mas recuperaram e empataram 2-2, com 25-16 e 25-21.

O quinto e decisivo set foi muito equilibrado e com alternância no marcador, decidindo-se pela margem mínima, 16-14 a favor da seleção verde e amarela, comandada por Renan Dal Zotto, que assim soma segunda vitória no grupo B.

No total, mais de duas horas e meia de jogo, a deixar dúvidas quanto ao real poderio atual da seleção de jogadores como Bruno Mossa e Yoandy Leal.

Segunda vitória no grupo igualmente para os russos, identificados sem a bandeira russa, mas sim com a do respetivo Comité Olímpico. Venceram os Estados Unidos por 3-1 (25-23, 27-25, 21-25 e 25-23.

Nota positiva para a qualidade do jogo dos norte-americanos, vencedores frente à França no primeiro dia e que parecem muito bem encaminhados para acompanhar brasileiros e russos para os quartos de final.

No que poderá ser um resultado decisivo para o quarto lugar, a França bateu a Tunísia, por 3-0 (parciais de 25-21, 25-11, 25-21).

O grupo A está mais longe de se definir, sobretudo depois de a Polónia acertar o passo e derrotar a Itália, vice-campeã olímpica, por 3-0 (25-20, 26-24, 25-20).

Bartosz Kurek (14 pontos) e Wilfredo Leon (18) lideraram o ataque da Polónia, ante um adversário que tem de se queixar da ausência, por lesão, do passador Simone Giannelli.

A Polónia reentra em força nas contas do grupo, que agora tem por líder isolado o Irão, hoje vencedor fácil da Venezuela, por 3-0 também (25-17, 25-20, 25-18).

O Japão somou segunda vitória, mas somente por 3-1 - os parciais do triunfo sobre o Canadá foram de 23-25, 25-23, 25-23 e 25-20.

Quarta-feira já haverá apurados para os quartos, destacando-se no programa o jogo entre brasileiros e russos.