Nelson Oliveira já pensa no contrarrelógio, mas avisa: "Não corro sozinho"

Nelson Oliveira já pensa no contrarrelógio, mas avisa: "Não corro sozinho"
Redação com Lusa

Tópicos

O ciclista português Nelson Oliveira terminou a prova este sábado como o 41.º classificado nos Jogos Olímpicos Tóquio2020.

Nelson Oliveira queria mais do que ser o 41.º classificado este sábado nos Jogos Olímpicos Tóquio2020. A falta de ritmo competitivo, dada a ausência da Volta a França, teria afetado o ciclista português, que admitiu ter metas mais ousadas para a competição.

"Tínhamos outras ambições, claro, como tentar chegar ao diploma, mas os adversários estavam mais fortes. Os que vieram do Tour tiveram outro ritmo de corrida. As diferenças fizeram-se na última subida", explicou à Lusa Nelson Oliveira, que hoje começou os terceiros Jogos da carreira.

Como "dever", afirma, teve de "ajudar ao máximo o João (Almeida, que terminou a prova em 13.º)", por o percurso lhe assentar melhor, apoiando-o, não só nas subidas, como em todo o outro trabalho, como o da hidratação, tão importante nas condições em que se correu este sábado até à Pista Internacional de Fuji.

Nelson Oliveira foi 41.º, a 10.12, nos terceiros Jogos: abandonou no Rio2016 e foi 69.º em Londres2012, no fundo, com um sétimo lugar no contrarrelógio de há cinco anos.

Depois do fundo, as atenções viram-se para o contrarrelógio, marcado para quarta-feira e com partida e chegada no Autódromo Internacional de Fuji, de percurso ondulado e 44,2 quilómetros de extensão. Essas medidas agradam ao especialista Nelson Oliveira, que quer "recuperar, para depois chegar o tão desejado "crono"", aquilo para que diz ter trabalhado.

"Espero que as coisas saiam da melhor maneira, mas não corro sozinho, há adversários muito fortes. Tanto eu como o João podemos fazer um bom crono. [Um diploma] é o objetivo, agora se vai ser concretizado ou não...", comentou.