Judo: Catarina Costa no caminho para o bronze após estreia auspiciosa

Judo: Catarina Costa no caminho para o bronze após estreia auspiciosa
Redação com Lusa

Tópicos

Judoca portuguesa dominou os dois primeiros combates e deu boa réplica no terceiro.

A judoca portuguesa Catarina Costa teve uma estreia auspiciosa nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020, ao dominar nos seus dois primeiros combates em -48 kg e a dar luta no terceiro, que a relegou para a repescagem.

A judoca de Coimbra, de 24 anos, apenas cedeu já no "golden score" frente à bicampeã mundial Daria Bilodid, com a ucraniana, número dois mundial e antiga atleta do Sporting, a surgir na competição como uma das grandes candidatas.

Se frente à azeri Aisha Gurbanli (34.ª do mundo) ou à chinesa Yanan Li (22.ª), Catarina dominou, fazendo valer, de certa forma, o seu estatuto de sétima cabeça de série, com Bilodid os papéis inverteram-se.

Nos dois primeiros combates, a portuguesa procurou sempre atacar, em contraponto com as adversárias - o que lhes chegou a valer castigos, por passividade -, mas com Bilodid sentiu outras dificuldades.

Mesmo assim, Catarina Costa procurou desgastar a ucraniana, num combate duríssimo, que se arrastou até ao "ponto de ouro", com cada uma das judocas penalizada com um castigo, num duelo que viria a ser favorável a Bilodid.

A judoca portuguesa teve sempre dificuldade em fazer as pegas, perante uma adversária com mais 20 centímetros e a quem nunca ganhou, enquanto Daria Bilodid tentou, invariavelmente, vencer o combate no chão.

Uma tática que resultou, já aos 1.28 minutos do "ponto de ouro", com uma imobilização à judoca portuguesa e depois de Bilodid efetuar algumas tentativas de chave de braço.

Nos três confrontos prévios, Catarina nunca tinha vencido a ucraniana, que se assume como uma das candidatas ao título olímpico, embora tenha uma adversária complicadíssima nas meias-finais, a japonesa Funa Tonaki (terceira do mundo).

Já Catarina Costa cai para a repescagem e consequente caminho para o bronze, num setor em que voltará a ter um combate de enorme dificuldade, a exigir o melhor da judoca de Coimbra, frente à campeã olímpica, a argentina Paula Pareto.

Com Pareto, sexta do ranking mundial e que foi também bronze nos Jogos de Pequim2008 e campeã mundial em 2015, Catarina Costa também nunca venceu, tendo perdido nos Mundiais de 2018, em que a argentina foi bronze, e no Grande Prémio de Cancún, no mesmo ano.

Os combates de repescagem e meias-finais da competição de -48 kg decorrem ainda este sábado, a partir das 17:00 locais (09:00 em Portugal continental).