Eslovénia e Argentina avançam para os quartos de final no basquetebol

Eslovénia e Argentina avançam para os quartos de final no basquetebol
Redação com Lusa

Tópicos

Na última ronda do Grupo C, os espanhóis tentaram anular Luka Doncic, com uma defesa de dois contra um e até três contra um, e limitaram-no a 12 pontos, mas não a sua influência no jogo dos eslovenos, que voltou a comandar com mestria.

A Eslovénia, campeã europeia em título, venceu (95-87) hoje a Espanha, detentora do título mundial, conquistando o estatuto de cabeça de série para o sorteio dos quartos de final do torneio de basquetebol, no qual estará a Argentina.

Na última ronda do Grupo C, os espanhóis tentaram anular Luka Doncic, com uma defesa de dois contra um e até três contra um, e limitaram-no a 12 pontos, mas não a sua influência no jogo dos eslovenos, que voltou a comandar com mestria.

Em 33.55 minutos, o base dos Dallas Mavericks só acertou dois de sete tiros de campo e seis de 11 lances livres, mas acrescentou 14 ressaltos e nove assistências, roçando o triplo duplo, mais um roubo de bola.

Numa equipa em que não faltam lançadores, Vlatko Cancar foi quem mais aproveitou a liberdade proporcionada por Doncic, ao marcar 22 pontos, merecendo ainda destaque os 16 e 14 ressaltos de Mike Tobey e os 15 de Klemen Prepelic.

Pelos espanhóis, que estiveram mais tempo no comando e passaram à frente no final do primeiro período (24-20), ao intervalo (44-41) e após o terceiro (70-68), o melhor foi, uma vez mais, Ricky Rubio, com 18 pontos e nove assistências.

Destaque ainda para os 14 pontos de Alberto Abalde e os 12 de Sergio Llull e Rudy Fernández.

Com este resultado, a Eslovénia - que venceu o último período por 27-17 e fechou o embate com um 12-2 - evita Estados Unidos, França e Austrália nos quartos, bem como a Espanha, que já sabia que não podia enfrentar.

Por seu lado, os espanhóis defrontam os norte-americanos, os franceses ou os australianos, já que não podem encontrar a Argentina, que também era do Grupo C e hoje conquistou a última vaga nos quartos, ao vencer o Japão por claros 97-77.

O veterano Luis Scola, com 23 pontos e 10 ressaltos, Facundo Campazzo, com 17 pontos, 11 assistências e sete ressaltos, Gabriel Deck, com 16 pontos, e Marcos Delia, com 14, comandaram os argentinos, última seleção a vencer o ouro olímpico (em 2004) antes do tri dos Estados Unidos (2008, 2012 e 2016).

Os argentinos qualificaram-se com o melhor terceiro, deixando pelo caminho a República Checa, com o Japão a sair com três derrotas, depois de um embate em que foi liderado pelos 18 pontos e sete ressaltos de Yudai Baba.