Bárbara Timo sem motivos para sorrir no palco onde foi vice-campeã mundial

Bárbara Timo sem motivos para sorrir no palco onde foi vice-campeã mundial
Redação com Lusa

Tópicos

O quadro adivinhava grandes dificuldades para Timo, com a certeza que defrontaria, caso superasse a primeira eliminatória, a atual campeã mundial, a croata Barbara Matic, sétima do ranking mundial e que estava isenta da ronda inaugural

Dois anos depois de ser vice-campeã mundial e atingir o ponto mais alto da carreira no mesmo Nippon Budokan, Bárbara Timo não teve a mesma felicidade na estreia nuns Jogos Olímpicos e foi cedo eliminada.

O quinto dia dos judocas portugueses nos Jogos Olímpicos Tóquio'2020 manteve a tendência dos anteriores, exceção à estreia de Catarina Costa (diploma olímpico), com a peso médio, referência na categoria de -70 kg, a cair cedo.

O quadro adivinhava grandes dificuldades para Timo, com a certeza que defrontaria, caso superasse a primeira eliminatória, a atual campeã mundial, a croata Barbara Matic, sétima do ranking mundial e que estava isenta da ronda inaugural

Antes, na estreia, a judoca, que no início de 2019 trocou as cores do Brasil por Portugal, deu a ideia de entrar tensa diante da jamaicana Ebony Drysdale Daley, 59.ª do mundo, num combate sem desequilíbrios evidentes.

Ainda assim, foi Timo, mais bem classificada no "ranking" (15.º), que assumiu o ataque, em contraponto com Daley, que no espaço de minuto e meio recebeu três shidos (castigos), por falta de combatividade, que ditaram a sua eliminação.

Na sua segunda ida ao "tatami", a dificuldade cresceu exponencialmente, com a portuguesa a encontrar a campeã mundial em título, uma adversária que atravessa o melhor momento da carreira e com quem Timo tinha perdido no último confronto.

Quando ainda representava o Brasil, a luso-brasileira tinha superado Barbara Matic no Grande Prémio de Zagreb, em 2017, mas no último ano, quando se voltaram a encontrar, perdeu no Grand Slam de Budapeste.

Matic pareceu sempre mais forte do que a portuguesa, num combate de risco para ambas, visto que uma derrota eliminava desde logo, e, aos 1.10 minutos, Bárbara Timo sofreu um primeiro castigo, alguns segundos antes de ser projetada, e perder por ippon.

Com oito judocas em Tóquio2020, a maior delegação de sempre, a par de Barcelona1992, Portugal terá ainda em ação no Nippon Budokan Patrícia Sampaio (-78 kg) e o bicampeão mundial Jorge Fonseca (-100 kg), na quinta-feira, e Rochele Nunes (+78 kg), na sexta-feira.

Catarina Costa obteve, até ao momento, o melhor resultado entre os judocas portugueses, ao ser quinta em -48 kg, enquanto Joana Ramos (-52 kg) e Anri Egutidze (-81 kg) perderam ao primeiro combate, e Telma Monteiro (-57 kg), bronze no Rio2016, e Bárbara Timo (-70 kg) foram eliminadas no segundo combate que efetuaram.