Patrícia Mamona, Auriol Dongmo, andebol e mais no programa de sexta-feira

Patrícia Mamona, Auriol Dongmo, andebol e mais no programa de sexta-feira
Redação com Lusa

Tópicos

Atletismo arranca ao sétimo dia de competição em Tóquio2020, mas há mais pontos de interesse para sexta-feira.

As campeãs europeias de pista coberta Patrícia Mamona e Auriol Dongmo iniciam na sexta-feira as qualificações olímpicas no atletismo, no dia em que a seleção de andebol defronta a Dinamarca e o canoísta Antoine Launay pode surpreender no slalom.

O atletismo principia ao sétimo dia de competição em Tóquio2020, um depois do judoca bicampeão do mundo Jorge Fonseca ter sido bronze na categoria de - 100kg, primeira medalha lusa nestes Jogos, um pódio ao qual são aspirantes Patrícia Mamona, no triplo salto, e Auriol Dongmo, no lançamento do peso.

A partir das 19:05 (11:05 em Portugal continental), Mamona, sexta no Rio2016, e Evelise Veiga vão tentar ser uma das oito finalistas do triplo salto, facto que seria mais notável para a estreante olímpica.

Aos 32 anos, Patrícia Mamona persegue num novo recorde nacional, que fixou em 9 de julho em 14,66 metros, para assim poder melhorar o desempenho no Brasil e almejar um inédito pódio olímpico.

Vinte minutos mais tarde, Auriol Dongmo, de 30 anos, fará a sua parte no lançamento do peso, competição em que deseja mais do que o seu 12.º posto no Rio2016, ao serviço dos Camarões, de onde é natural.

A primeira a entrar em prova no atletismo será, contudo, Lorene Bazolo, às 11:40 (03:40), nas eliminatórias dos 100 metros.

Igualmente de manhã, às 11:00 (03:00), Rochele Nunes vai tentar nova medalha no judo, desta vez em +78 kg; nesta modalidade os portugueses somam três bronzes, contando com os de Telma Monteiro no Rio2016 e Nuno Delgado em Sydney2000.

O canoísta Antoine Launay tem, às 14:00 (06:00), uma manga para provar que merece estar nos 10 mais fortes que, duas horas depois, vão discutir as medalhas no K1 do slalom, águas bravas.

A sétima posição no Mundial de 2019, que o qualificou, é o cartão de visita do canoísta, que já assumiu ter vindo a Tóquio cumprir o sonho de um pódio olímpico.

A seleção de andebol vai defrontar a campeã olímpica e bicampeã mundial Dinamarca no quarto desafio do grupo B, no qual tem um triunfo e duas derrotas, e antes do encontro de domingo com o Japão, no qual deve decidir uma vaga nos quartos de final.

Passam quatro das seis equipas, sendo que os pupilos de Paulo Jorge Pereira, que no último jogo perderam por 29-28 ante a vice-campeã mundial Suécia, têm dois pontos, enquanto Barém e Japão estão a zeros, mas vão ainda defrontar-se.

Na vela, às 12:05 (04:05) em Enoshima, Carolina João inicia o seu último dia de prova na classe Laser Radial, com as nona e 10.ª regatas, para as quais parte na 33.ª posição.

À mesma hora, em Zushi, os irmãos Diogo Costa e Pedro Costa vão para a quinta e sexta regatas da classe 470, na qual seguem no 15.º lugar.

Já em Kamakura, José Costa e Jorge Lima têm pela frente as sétima, oitava e nona regatas das 12 do 49er, depois de terem caído uma posição, para 10.º, por desclassificação na última que disputaram.