"O João Sousa já começa a ter mazelas na mão"

"O João Sousa já começa a ter mazelas na mão"
Manuel Perez

Tópicos

Embora descrente quanto à retoma do circuito em agosto, o número um português e 66.º mundial não descura a preparação, aumentou intensidade nos treinos e fez primeiro ensaio com "adversário".

Depois de várias semanas a trabalhar em casa, principalmente a parte física e algumas vezes a vertente técnica - esta no campo existente na habitação familiar, na freguesia de São Torcato -, João Sousa, de 31 anos, esteve no Clube de Ténis de Guimarães para dar início a um período mais intenso de uma estranha fase da carreira, em que está a efetuar uma espécie de pré-época, após a temporada ser suspensa, devido à pandemia, no início de março.

O primeiro "adversário" eleito para medir o estado atual do vimaranense foi João Monteiro, o portuense de 26 anos, campeão nacional absoluto em 2016 e 2018. "O trabalho tem sido muito progressivo e o João já começa a ter mazelas na mão", descreve Frederico Marques, o treinador que segue o seu protegido à distância - desde Almada -, mas ao qual se juntará no início do próximo mês na região de Lisboa, para atacarem nova etapa deste processo de retorno à competição.

O último encontro que João Sousa disputou foi há 75 dias, na eliminatória da Taça Davis em que ajudou Portugal a impor-se na Lituânia. Não há memória de ter encostado durante tanto tempo a raquete e é com essa arma que voltará a realizar hoje um treino mais exigente, novamente no CTG, com a colaboração do maiato Nuno Borges, de 23 anos e vice-campeão universitário dos EUA na época passada. O apronto servirá para encerrar um dos microciclos programados para esta altura, entrando num outro na próxima semana, ainda no norte do país, rumando no dia 31 para Lisboa, onde cumprirá três semanas de treino, quer nas instalações do CAR quer em clubes, tendo como primeiro parceiro Frederico Silva, devendo seguir-se os contributos de João Domingues e Pedro Sousa.

Não está posta de parte a possibilidade de João Sousa disputar um par de torneios com prize money em Portugal, na primeira quinzena de julho, bem como jogar o Campeonato Nacional, que continua marcado para setembro, mas com fortes hipóteses de ser antecipado, sempre tendo em conta a evolução da situação sanitária.

O regresso ao circuito mundial está agendado para 1 de agosto, nos Estados Unidos, e, se nos próximos tempos se constatar que tal pode suceder, João Sousa e Frederico Marques viajarão com a devida antecedência, até pelo facto de poderem ter de se sujeitar a uma obrigatória quarentena.